Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

No primeiro confronto com o Oeste, Corinthians encontrou retranca

Apesar da vitória corintiana por 3 a 0, duelo das duas equipes foi equilibrado. Defesa do rival é destaque

Bruno Winckler, iG São Paulo |

O Oeste, adversário do Corinthians nas quartas de final do Paulistão, não foi presa fácil à equipe de Tite no confronto da primeira fase do Estadual. E o placar de 3 a 0 a favor do Corinthians pode até enganar uma análise prévia do encontro deste sábado.

No duelo válido pela 15ª rodada, no dia 23 março, o time de Itápolis chegou ao Pacaembu já colocado entre os oito primeiros colocados do campeonato e com um ótimo retrospecto defensivo. Ostentava a terceira melhor defesa do torneio, com 10 gols sofridos até então, um desempenho que só não era melhor que o do próprio Corinthians, que sofrera oito, e do Palmeiras, com seis.

Com este bom retrospecto, o Oeste, escalado com três zagueiros – Cris, Paulo Miranda e Adriano – dificultou muito o jogo do Corinthians. Apesar de ter maior posse de bola, o time da casa não conseguia furar a retranca dos visitantes.

“Eles têm uma consistência defensiva muito forte, sem bola, é uma equipe que compete muito. Tem uma das melhores defesas do campeonato e foi isso que mostrou no jogo que fizemos com eles, apesar do resultado. Temos de estar muito atentos”, disse o técnico Tite, na noite de segunda-feira, à “Rádio Globo”.

De acordo com números do Footstats, o Corinthians terminou a partida com 62% de posse bola contra 38% do Oeste. O primeiro gol corintiano nasceu de uma jogada de bola parada, um escanteio, cobrado por Morais na cabeça de Paulinho aos 34 minutos do primeiro tempo.

“Eu me lembro que o Oeste marcou muito. Não lembro quando fizemos o gol, mas até fazer estávamos com dificuldade", lembra o lateral-direito Alessandro, que foi desarmado cinco vezes pela defesa do time de Itápolis de acordo com o Footstats.

O Oeste terminou a primeira fase com 17 gols sofridos, pior apenas que Palmeiras (8), Corinthians (12) e Ponte Preta (16).

O gol de Paulinho abriu um pouco o jogo e o Oeste foi para cima do Corinthians. Tentou alguns chutes a gol e conseguiu 10 finalizações na partida. O goleiro Júlio César teve de interceder duas vezes em chutes perigosos. O time de Itápolis manteve sua média de finalizações no campeonato, mas com falta de pontaria, não conseguiu reverter o quadro contra o Corinthians

“Vamos nos preparar durante a semana para enfrentar um adversário de qualidade, difícil, mas vamos atuar de igual para igual”, disse o treinador do Oeste, Luís Carlos Martins.

Leia tudo sobre: CorinthiansCampeonato Paulista 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG