Lucas decide com gol aos 47 minutos do segundo tempo e paulistas dividem a liderança com o Atlético-MG

nullCom temperatura na casa dos 15ºC no estádio do Morumbi, o futebol de São Paulo e Figueirense não foi suficiente para esquentar os 9.931 torcedores presentes. Jogando no novo horário criado pela CBF para o Campeonato Brasileiro de 2011, às 21h de sábado, paulistas e catarinenses empatavam por 0 a 0 até os 47 minutos do segundo tempo, quando Lucas marcou e definiu a vitória para os donos da casa. Com o resultado, o São Paulo divide a liderança da competição com o Atlético-MG, que mais cedo já havia vencido o Avaí.

No primeiro tempo, o máximo que os donos da casa conseguiram foi dominar a posse de bola a maior parte do tempo, mas sem transformar esse domínio em jogadas que levassem perigo real ao gol do Figueirense. Antes da saída para o intervalo, Lucas tentou explicar: “precisamos ter mais vontada, está faltando tesão pra fazer o gol”, afirmou.

Leia também: São Paulo venceu todos os jogos em que Lucas marcou gol

Lucas comemora gol que deu a vitória ao São Paulo
AE
Lucas comemora gol que deu a vitória ao São Paulo

Na segunda etapa o São Paulo teve atuação muito melhor. Com Rivaldo, Henrique Miranda e Marlos substituindo Fernandinho, Juan e Carlinhos Paraíba respectivamente, o time criou - e desperdiçou - diversas chances. Casemiro e Marlos chegaram a colocar duas bolas na trave do goleiro Wilson, mas a vitória veio somente no último lance, quando Lucas mostrou seu poder de decisão, marcando o gol da vitória com um chute da entrada da área. 

A partida, além do horário, teve mais duas novidades para a torcida do São Paulo. No gol, Rogério Ceni estreou um novo modelo de uniforme, em preto e rosa, inspirado em uniformes da década de 90 e ainda com referências ao centésimo gol do goleiro artilheiro, marcado há pouco mais de dois meses. Já na lateral esquerda, a novidade foi a estreia do jovem Henrique Miranda, que no segundo tempo substituiu Juan. 

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Na próxima rodada do Brasileirão, o Figueirense recebe em Florianópolis o Atlético-GO. A partida acontece no próximo sábado. Já o São Paulo volta a entrar em campo somente no dia oito de junho, uma quarta-feira, quando enfrenta o Atlético-MG na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

O jogo

Jogando no 4-4-2 e com Fernandinho de volta ao ataque, o São Paulo não teve dificuldades para controlar a posse de bola no início de jogo. Chegava até com certa facilidade às imediações da área do Figueirense, mas faltava encaixar uma chance realmente perigosa. Aos seis minutos, Lucas fez ótima jogada pela direita, driblando Juninho e Túlio. Na sequência cruzou para a área e encontrou Fernandinho, mas o camisa 12 chutou à esquerda do gol.

Esse porém, foi praticamente o único momento da revelação são-paulina na etapa inicial. E com ele apagado, o time teve dificuldades. Aos 15, Dagoberto cobrou falta da esquerda, mas o goleiro Wilson conseguiu afastar o perigo. No minuto seguinte, o mesmo dagoberto dominou na esquerda, cortou pra dentro e chutou forte, mas para fora.

Conseguindo congestionar o meio de campo, o Figueirense forçou o São Paulo a jogar principalmente pelas laterais e conseguiu começar a equilibrar a partida. Antes dos 30, vendo a dificuldade que seu time enfrentava, a torcida presente ao estádio do Morumbi já começou a vaiar Carpegiani e pedir a entrada do veterano Rivaldo.

Pouco antes do intervalo, o Figueirense chegou a ter um momento melhor que o do São Paulo e por pouco não abriu o placar. Wellington Nem cobrou falta no canto esquerdo de Rogério Ceni e o camisa 1 precisou fazer bela defesa, espalmando para escanteio.

Na volta do intervalo, Carpegiani atendeu à torcida e voltou com Rivaldo no lugar de Fernandinho. Além disso, promoveu a estreia do lateral esquerdo Henrique Miranda, que entrou no lugar de Juan depois da péssima participação do camisa 16 no primeiro tempo.

As duas novas peças não demoraram a mostrar serviço. Logo aos três minutos, Rivaldo fez lançamento preciso para a área, mas Casemiro não conseguiu dominar e a bola sobrou para defesa tranquila de Wilson. Aos oito, Henrique Miranda tentou o cruzamento e pegou mal, mas a bola desviou no caminho e por pouco não enganou o camisa 1 catarinense.

O ritmo de jogo dos anfitriões, no entanto, só melhorou depois dos 20 minutos, quando Jean acertou belo chute de fora da área, que acabou saindo à esquerda. Nos minutos seguintes, o gol parecia amadurecer. Aos 23, Dagoberto cobrou escanteio e Casemiro cabeceou na trave esquerda. Aos 25, foi a vez de Marlos, que havia substituído Carlinhos Paraíba. O camisa 11 chutou bem da entrada da área, mas também acertou a trave.

A pressão são-paulina passou a ser total e o time seguiu acumulando chances desperdiçadas. Após nova cobrança de escanteio, a bola sobrou para Rhodolfo na marca do pênalti, mas mesmo sem marcação o zagueiro chutou por cima. Pouco depois, Lucas voltou a aparecer, fez boa jogada individual e chutou de fora da área, para grande defesa de Wilson.

Já o Figueirense teve sua melhor chance aos 39, com Rhayner, mas o atacante chutou para fora. Quando o empate já parecia sacramentado, no último lance, o meia Lucas mostrou porque é considerado o principal nome do São Paulo atualmente. Com um chute de fora da área aos 47 minutos, ele marcou o gol que deu a vitória aos anfitriões.

FICHA TÉCNICA - SÃO PAULO 1 X 0 FIGUEIRENSE

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 28 de maio de 2011, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Rodrigo Henrique Correa (ambos do RJ)
Público: 9.931 pagantes
Renda: R$ 234.431,00
Cartões amarelos: Wellington (São Paulo); João Paulo, Aloísio, Túlio (Figueirense)

GOLS:
São Paulo - Lucas, aos 47 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Xandão, Rhodolfo e Juan (Henrique Miranda); Wellington, Casemiro, Carlinhos Paraíba (Marlos) e Lucas; Fernandinho (Fernandinho) e Dagoberto
Técnico: Paulo César Carpegiani

FIGUEIRENSE: Wilson; Bruno, João Paulo, Edson Silva e Juninho; Ygor, Túlio (Pittoni), Maicon e Wellington Nem (Coutinho); Reinaldo e Aloísio (Rhayner)
Técnico: Jorginho

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.