Jovem atacante do Flamengo diz que marcadores já começam a provocar em campo, mas companheiros o defendem

Negueba tem apenas 19 anos e começa a conviver com os desafios de um jovem em busca de seu espaço no futebol. No clássico com o Botafogo, ele entrou em campo e esquentou o jogo com dribles desconcertantes em Arévalo. Aos poucos, ouve as provocações e ameaças dos rivais, as encara com naturalidade e conta com os companheiros de Flamengo para sair ileso.

“Eles tentam intimidar sim, falam para ir devagar, lembram que não estou mais nos junioes. Mas isso faz parte, essa provocação. Mas meus companheiros ajudam e discutem com eles quando é preciso”, afirmou Negueba.

Ele ainda não quis confirmar se vai ou não ser titular contra o Boavista, domingo, às 16h, na final da Taça Guanabara, no Engenhão. Mesmo assim, já começa a se imaginar em campo, quem sabe comemorando o seu primeiro título como profissional.

“Tive a chance de fazer o gol do título na Copa São Paulo de Futebol Júnior e foi um momento muito importante na minha vida. Agora, não dá nem para pensar no que vai acontecer. Estava acostumado a ver apenas pela televisão ou no estádio”, disse Negueba.

Em campo, o jovem jogador procura seguir os passos ensinados pelo técnico Vanderlei Luxemburgo para ter sucesso. Negueba aceita a comparação com Edilson, feita pelo comandante, e promete manter o estilo que vem conquistando os torcedores nesse começo de carreira profissional.

“Lembro do Edilson um pouco no Flamengo, no Corinthians e na seleção. Acho que pareço um pouco sim, pelas características de jogo. Procuro fazer em campo o que me vem na cabeça e o técnico e meus companheiros dão liberdade para isso”, afirmou Negueba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.