Vice-artilheiro do Brasileirão, atacante pode se livrar de um fardo ou ser banido do esporte

Jobson chora após marcar seu 3º gol no Brasileirão. Atacante voltou a jogar bem, mas pode ser banido
AE
Jobson chora após marcar seu 3º gol no Brasileirão. Atacante voltou a jogar bem, mas pode ser banido
A terça-feira pode ser um dia de muita alegria ou de profunda tristeza para o atacante Jobson , do Bahia . Ele será julgado pela CAS (Corte Arbitral do Esporte), na Suíça, por conta de um caso de doping ocorrido durante um jogo do Botafogo (seu time à época) contra o Coritiba , em novembro de 2009. Na ocasião, o exame encontrou traços de cocaína na urina do jogador. Em dezembro, após uma partida contra o Palmeiras , ele foi pego novamente do teste, sendo suspenso por dois anos pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), com a pena sendo reduzida para seis meses depois. A audiência na Europa será iniciada às 9h locais (4h de Brasília) e pode se prolongar até as 17h (12h em Brasília). O veredicto sai em até 60 dias - enquanto isso, o atacante poderá jogar normalmente pelo Campeonato Brasileiro .

O julgamento pode terminar de três maneiras para o atacante, uma positiva e duas negativas. Uma possibilidade é de que Jobson tenha a pena do STJD mantida em seis meses (já cumpridos pelo atleta), podendo continuar jogando normalmente pelo Bahia. Porém, a CAS pode anular a redução e retomar a punição de dois anos, com o atleta precisando ficar parado por mais um ano e meio (seria devolvido ao Botafogo). O pior desfecho para Jobson seria o banimento do esporte, algo comum no atletismo , mas que aconteceu raras vezes na maioria das outras modalidades.

Os rumos da vida de Jobson, de apenas 23 anos, serão decidiso por três pessoas: dois advogados, um suíço, indicado pela Wada (Agência Mundial Antidoping), e um israelense, Efraim Barak, escolhido pela defesa de Jobson, além do alemão Christoph Vedder, presidente do painel da CAS. Caso a entidade entenda que o atacante utilizou substâncias proibidas em duas ocasiões diferentes e opte por bani-lo do esporte, a decisão dificilmente será passível de recurso.

Para manter Jobson em atividade, a defesa do jogador vai alegar que as drogas que o atleta admite ter utilizado (cocaína e crack) não melhoram o desempenho esportivo, assim como não servem para mascarar o uso de outras substâncias dopantes (artigo 10.4 do código mundial antidoping). Os advogados também vão apelar para o fato de que, caso o atacante seja banido, poderá voltar a ser usuário. Os exames de sangue semanais que Jobson vem realizando no Bahia também serão utizados para mostrar que o jogador parou de usar entorpecentes.

Jobson teve ascenção meteórica e queda vertiginosa no Botafogo. Agora, atacante só quer jogar bola
Photocamera
Jobson teve ascenção meteórica e queda vertiginosa no Botafogo. Agora, atacante só quer jogar bola
"Estou nervoso sim, mas feliz. Vai dar tudo certo. Deixei nas mãos de Deus", afirmou o atacante após a vitória do Bahia sobre o Fluminense , no último sábado. "Deus tem me abençoado, estou voltando a desempenhar um bom futebol e, com certeza, não vão me punir por nada", completou o atacante, que voltou às manchetes por suas boas atuações e gols no Campeonato Brasileiro - ele já marcou três, ficando apenas atrás de Luan , do Palmeiras, e Bernardo , do Vasco , na tabela dos artilheiros .

Jobson ganha apoio maciço
Considerado como "um cara muito gente boa" e um "ser humano maravilhoso" pelos colegas do Bahia, Jobson ganhou muitas palavras de apoio na segunda-feira, antes de partir para a cidade suíça de Lausanne para enfrentar o julgamento na CAS. O técnico René Simões rasgou elogios ao artilheiro.

René Simões pediu
Divulgação
René Simões pediu "última chance" a Jobson
"Ele realmente teve um postura errada, mas, se pensarmos assim, quanta gente no Brasil deveria ser punida? Acho que poderia ser dada uma última chance, com uma pena mais dura em caso de nova conduta irregular. Ele já pagou pelo que fez e está sendo monitorado. Torço para que ele continue com a gente, pois é um ser humano maravilhoso, que cometeu um erro, como muitos outros cometem", disse o técnico.

O meio-campista Lulinha foi outro que ficou na torcida por Jobson: "Ele é muito boa gente. Precisa sempre de carinho e orientação e tem se esforçado para sair desta situação. Sabemos o quanto de bola ele joga e o quanto seria importante para nosso time que ele pudesse continuar jogando. Vamos rezar e tudo vai dar certo. E ele sendo liberado, precisa sempre ser assistido e recebido com coração aberto", afirmou.

Nas redes sociais, como o Twitter, o nome de Jobson também foi muito citado. Diversos torcedores mandaram mensagens de apoio ao camisa 11, além de pedirem a absolvição de "Jobgol", como é chamado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.