No duelo dos últimos colocados do Brasileirão, times desperdiçaram chances e empataram sem gols na Arena

Na estreia do técnico Renato Gaúcho, o Atlético Paranaense voltou a mostrar velhos problemas, especialmente no ataque, e não passou de um 0 a 0 com o Avaí, no jogo dos desesperados no Campeonato Brasileiro 2011. A tímida torcida que compareceu na Arena da Baixada para encarar o frio, teve ainda que aguentar um jogo tecnicamente fraco.

As duas equipes seguem abraçadas na zona de rebaixamento da competição. Enquanto o Atlético-PR somou seu segundo ponto e continua na lanterna, com apenas dois gols marcados, os catarinenses chegam aos quatro pontos, na penúltima colocação.

Na próxima rodada, o Atlético-PR volta a campo no sábado, para encarar o Vasco em São Januário, no Rio de Janeiro. Já o Avaí terá pela frente, no mesmo dia, o Atlético Goianiense, no Serra Dourada, em Goiânia.

O jogo

Com as duas equipes precisando desesperadamente do resultado, o jogo começou truncado, com muita disputa no meio-campo. Aos dois minutos, Paulo Baier teve primeira cobrança de falta, que parou nas mãos de Felipe. A resposta veio aos seis minutos, em arremate de Romano, fácil para Renan Rocha. Estreante, Santiago Garcia ainda não se mostrava à vontade. Aos 13 minutos, saiu com bola e tudo.

A partida seguia amarrada, sem fortes emoções. Apesar de ter maior posse de bola, o Atlético-PR não transformava a estatística em finalizações. Aos 14 minutos, mais um lançamento desperdiçado, agora por Marcelo Oliveira que fez falta de ataque. Aos 18 minutos, finalmente criou uma chance, com Cléber Santana, que cabeceou firme para defesa de Felipe.

Aos poucos o Atlético-PR se soltava em campo. Aos 27 minutos, Kléberson soltou a bomba da entrada da área e Felipe fez grande defesa. No minuto seguinte foi a vez do Avaí, que chegou com muito perigo com um chute violento de Cleverson, que parou em Renan Rocha. Mádson invadiu a área, aos 36 minutos, mas pegou muito mal na bola. Vacilo da equipe da casa, que permitiu um chute de Gustavo Marques, dentro da área, e contou com o reflexo do goleiro.

Depois do intervalo, as equipes voltaram sem nenhuma modificação. Aos três minutos, Kléberson chutou de fora da área e a bola passou próxima da meta. Na resposta, Pedro Ken chegou pela lateral e cruzou para ninguém, desperdiçando um bom ataque catarinense. Aos nove minutos, Paulo Baier cobrou falta na entrada da área e abola subiu demais, longe do gol.

Preocupado com o empate, o técnico Renato Gaúcho tirou o lateral Marcelo Oliveira para a entrada do atacante Adaílton. Aos 15 minutos, na única jogada do Avaí, Digo Orlando arrematou de fora da área, sem maiores problemas para Renan Rocha. O time azul e branco cresceu. Aos 19 minutos, William recebeu bem colocado e demorou para definir o lance, perdendo a jogada.

Apagado na partida, El Morro apareceu ironicamente em um belo corta luz para Kléberson, que aos 25 minutos chutou bonito, para fora. Susto para a torcida atleticana, aos 31 minutos, em arremate de Robinho que passou por cima da meta. Mádson fez linda jogada individual, aos 33 minutos e chutou na trave. A fase está dificil para o Atlético-PR. Aos 38 minutos, chute cruzado de Branquinho e Felipe interceptou. Aos 43 minutos, Fabrício dominou, escolheu o canto e isolou. Na última jogada de perigo, confusão antes de cobrança de falta de Mádson, que terminou nas mãos de Felipe.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 0 X 0 AVAÍ

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 9 de julho de 2011, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Emerson Augusto de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Wagner Diniz e Adaílton (Atlético-PR); Pedro Ken, Romano, Daniel, Bruno, Fabiano, Welton Felipe e William (Avaí)

ATLÉTICO-PR: Renan Rocha; Wagner Diniz, Manoel, Fabrício e Marcelo Oliveira (Adaílton); Deivid, Kléberson, Cleber Santana, Paulo Baier (Branquinho); Mádson e Santiago Garcia (Nieto)
Técnico: Renato Gaúcho

AVAÍ: Felipe; Daniel, Welton Felipe, Gustavo Bastos, Romano; Bruno, Batista (Robinho), Pedro Ken (Fabiano) e Cleverson (Marquinhos Gabriel); Rafael Coelho e William
Técnico: Alexandre Gallo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.