Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Na bronca com arbitragem, Soares exalta grupo do Atlético-PR

Na avaliação do treinador, pênalti em Bruno Mineiro não marcado aos 27 minutos e gol de Paulo Baier anulado aos 3 poderiam ter mudado partida contra Palmeiras

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861956924&_c_=MiGComponente_C

Dois lances capitais ainda no primeiro tempo da vitória do Atlético-PR sobre o Palmeiras, por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, tiraram do sério o técnico Sérgio Soares, que ao final da partida reclamou muito da arbitragem de Wallace Nascimento Valente. Na avaliação do treinador, um pênalti em Bruno Mineiro não marcado aos 27 minutos e um gol de Paulo Baier anulado aos 33 minutos poderiam ter mudado a partida.

"A gente está vendo que o Atlético-PR está sendo prejudicado em vários jogos. Alguns pontos que perdemos por conta de erros de arbitragem nos deixam nessa briga por posições. Hoje foi mais gritante ainda. Poderíamos ter saído no mínimo com 1 a 0 no primeiro tempo e seria outro jogo", afirmou o comandante atleticano, que pede mais critério aos juízes. "Não quero ser ajudado. Queremos uma arbitragem normal para poder conseguir nossos resultados", disse.

Sérgio Soares reclama da arbitragem

Mesmo com o gol de Nieto marcado somente aos 39 minutos do segundo tempo, Soares garante que em nenhum momento desanimou e acreditava nos três pontos. "Nós teríamos que acreditar até o final. Fizemos o gol e tivemos um cuido maior, diferente do jogo contra o Fluminense, quando fizemos o gol, descuidamos, e tomamos o empate. Acreditava com sinceridade que sairíamos vencedores", contou.

Sobre as substituições, o treinador exaltou seu grupo, dando moral a Marcelo e Nieto, que mesmo desacreditados pela crítica e pelo torcedor, foram fundamentais para a vitória. "Às vezes o atleta que está no banco de reservas pode entrar e mudar o jogo. Não só fazendo o gol, mas acrescentando algo ao time. O grupo tem que ser privilegiado, faltam só cinco jogos e temos que acreditar em nossos jogadores", concluiu.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG