Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Muricy: "Quero vencer, mas a Libertadores não é uma obsessão"

Treinador ressalta importância da Libertadores, mas afirma que entra para vencer como em qualquer outra

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Se o Fluminense bateu na trave em 2008, Muricy Ramalho sentiu o mesmo gosto amargo dois anos antes com o São Paulo. Mas quem pensa que a perda do título para o Internacional transformou a frustração do vice-campeonato em obsessão está enganado. Quatro vezes campeão brasileiro nas últimas cinco temporadas, o treinador afirma que espera vencer a competição este ano, mas que encara a Libertadores como qualquer outra competição.

“É claro que é a Libertadores é importante, mas é uma competição que eu entro para vencer como qualquer outra. Eu bati na trave com o São Paulo em 2006 e espero chegar ao título com o Fluminense. Mas sinceramente isso não virou uma obsessão na minha vida”, afirmou Muricy Ramalho.

Eliminado justamente pelo Fluminense nas quartas de final em sua última participação na Libertadores, o treinador reconhece que a tarefa do clube das Laranjeiras não será fácil, mas espera que o jejum acabe este ano.

Photocamera
Muricy Ramalho dá instruções ao argentino Conca durante treino do Fluminense
“Pegamos uma chave muito difícil e sabemos que não vai ser fácil conseguir a classificação. Depois vem o mata mata e ai entra o imponderável, onde tudo pode acontecer. Por isso nos últimos anos o campeão nunca foi o mesmo”, lembra Muricy.

Embora o Fluminense seja o atual campeão brasileiro e apontado por muitos como umas das forças da Libertadores, o treinador aponta o Santos como o grande favorito da competição.

“Para mim, o Santos é o grande favorito. Eles fizeram um grande investimento e quando tiverem todos os jogadores à disposição será um adversário muito complicado de ser batido. Mas no mata a mata a coisa muda e tudo pode acontecer. Um time vem aqui, arruma um empate e depois ganha em casa no jogo de volta por um a zero, o favoritismo acaba. Mas time por time, eu acredito que o Santos seja o melhor do país e da competição”, afirmou o treinador.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG