Tamanho do texto

Visando planejamento do time, treinador pede para o atleta definir negociações com clubes europeus

O técnico Muricy Ramalho está preocupado com o futuro do Santos e do atacante Neymar . O treinador quer uma definição rápida do atacante em relação a sua permanência ou saída do clube. Além disso, Muricy teme que o camisa 11 não se adapte ao esquema tático do Real Madrid, um dos favoritos a contratar o principal atacante do Santos .

Entre para a Torcida Virtual do Santos e convide seus amigos

“Isso é uma preocupação, é um opinião em relação a isso. O Real Madrid , por exemplo, é um time totalmente tático. Não sei como ele se encaixaria em um time dessa mentalidade. Não sei se ele se sentiria bem. Tenho dúvidas. Claro que ele é um craque. Mas, eu acho, sinceramente, que ele deveria ficar até a Copa do Mundo”, afirmou Muricy Ramalho.

Siga o iG Santos no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

O treinador elogiou a posição da diretoria santista, que estuda estratégias para manter o jogador na Vila Belmiro. Assim como o presidente do clube, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro , Muricy também deixou claro que a decisão só depende de Neymar. Desta forma, o técnico quer uma definição rápida por parte do atleta, pois precisa definir o elenco para a sequência da temporada.

“Eles (dirigentes do Santos) não querem que ninguém saia. Eles querem melhorar as condições dele (Neymar). Eles estão correndo atrás, mas depende do outro lado. O que passa na cabeça dos caras? Esperamos que eles resolvam o mais rápido possível. É importante as pessoas decidirem o que tem que fazer. As pessoas que cuidam da carreira desses jogadores precisam ser inteligentes, o jogador no Santos é uma grande vitrine, lá será um a mais”, disse Muricy, que lamentou o fato do atacante não estar no clube para tentar convencê-lo pessoalmente.

“A dificuldade é que eles não estão aqui, estão na seleção. É mais fácil para comunicar, olhar na cara deles. Para ver o que ele pensa do futuro. Se você conversar com as pessoas que cuidam da carreira dele. É difícil falar das pessoas, quando ela não está aqui. Se tivesse aqui ajudaria, mas não dá porque eles estão na seleção”, declarou.