Para treinador, Inter e Grêmio também têm elencos fortes, mas Santos é o principal candidato ao título

A temporada 2011 ainda nem começou e muitos já apontam o Fluminense como melhor time do futebol brasileiro e grande favorito para a conquista da Libertadores. Os torcedores do clube concordam em gênero, número e grau, mas há nas Laranjeiras quem não pense assim. Sempre exigente, Muricy Ramalho até concorda que sua equipe esteja entre as melhores do país, mas discorda de que o atual campeão brasileiro seja a equipe a ser batida na principal competição da América do Sul.

Para o técnico quatro vezes campeão nacional, todos os rivais brasileiros estão no mesmo nível do Fluminense. No entanto, Muricy deixou transparecer sua preferência pelo time dos garotos da Vila, liderados por Neymar e Ganso.

“Acho que não somos favoritos na Libertadores. Grêmio e Inter têm muitos bons times, mas ainda acredito que o Santos seja o mais preparado de todos. Além de manter a base que já era muito boa, contratou bem e ficou ainda mais forte. Nós temos um bom time, mas corremos por fora”, afirmou Muricy Ramalho.

Embora considere o Fluminense apenas uma das forças para a disputa da Libertadores, o treinador elogiou os reforços que estão sendo contratados. Jogadores pedidos a dedo por ele, Muricy acredita que o time ganhará opções interessantes.

“Acho que são posições que a gente precisava. Não queríamos muitos nomes. O Edinho joga como volante e zagueiro e que eu conheço bem, por isso a preferência por ele. Araujo é um velocista, que joga de lado. O Diego nós já vínhamos conversando e queríamos há muito tempo. O Souza é experiente e joga pelo lado direito do campo. Especialista na posição. Nós acreditamos no elenco do ano passado, por isso contratamos pouco”, explicou o treinador.

Apesar de a Libertadores ser o grande sonho de consumo do clube e do próprio treinador, Muricy deixou claro que o Fluminense vai entrar em todas as competições pensando em vencer. Porém, como o período de preparação é muito curto, ele não descarta começar a temporada com uma equipe diferente da que terminou 2010 para evitar as lesões que atrapalharam o planejamento do ano passado.

“Não temos preferência, sempre vamos entrar para ganhar. Mas as pessoas têm de entender que impossível preparar um time de futebol em dez dias. Outras equipes estão há mais tempo trabalhando. Por isso, no início podemos ser obrigados a revezar na escalação”, explicou.

Não é só na Libertadores que o treinador descarta qualquer tipo de favoritismo. Além dos pequenos que mais investem e fazem um bom trabalho há anos, como Duque de Caxias, Boavista e Madureira, Muricy ressalta que assim como o Fluminense, outros três grandes mudaram muito pouco em relação ao ano passado.

“Se a gente olhar bem, os times do Rio mantiveram a base. Eles estão se conscientizando de que não adianta mudar muito e mandar todo mundo embora se o resultado não foi o esperado. Não podemos nos desesperar toda vez que se perde um campeonato. A maior prova dessa mudança é que os técnicos também continuaram. Por isso não acho que o Fluminense leve vantagem”, explicou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.