Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Muricy mantém o silêncio ao deixar o Paraguai

Treinador, que cancelou entrevista coletiva após o jogo, também não falou no embarque para o Brasil

Samir Carvalho, enviado iG a Assunção |

A delegação do Santos deixou a cidade de Assunção, no Paraguai, nesta quinta-feira. No embarque para o Brasil, o técnico Muricy Ramalho manteve o silêncio e não falou com os jornalistas. Durante o duelo contra o Cerro Porteño, o treinador foi atingido na cabeça por um objeto, atirado por torcedores paraguaios, e está irritado com a situação.

Apesar do susto, o treinador aparentemente não sofreu nenhum ferimento na testa no embarque. Muricy foi alvo de um objeto que veio girando das arquibancadas. O técnico santista, que chegou a ficar de joelhos na beira do gramado depois de ser atingido, cancelou a entrevista coletiva após o jogo contra o Cerro Porteño .

Reprodução
Técnico foi atingido por objeto não identificado
Segundo a assessoria de imprensa do Santos, o treinador se recusou a falar após a partida, pois estava no vestiário fazendo tratamento com gelo na testa. Os jogadores também não quiseram dar entrevista e apenas o meia Elano falou com a imprensa após o jogo.

Após empatar com o Cerro Porteño por 3 a 3, resultado que classificou a equipe santista para a final da Copa Libertadores da América, devido a vitória no jogo de ida por 1 a 0 , na semana passada, no Pacaembu, o Santos aguarda o adversário da decisão, que sairá entre Vélez Sarsfield, da Argentina, e Peñarol, do Uruguai. Depois da vitória dos uruguaios no jogo de ida, as duas equipes jogam nesta quinta-feira, em Bueno Aires.

Enquanto isso, o Santos volta ao Brasil. Após deixar o Paraguai por volta das 11h (horário do Paraguai e 12h de Brasília), a delegação santista tem chegada prevista em São Paulo às 15h (de Brasília).

Leia tudo sobre: SantosCopa Libertadores 2011Muricy Ramalho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG