Técnico reclama que Neymar apanha e rivais não são advertidos na Libertadores. Colombiano apita em Assunção

O cartão amarelo recebido por Neymar na vitória sobre o Cerro Porteño, 1 a 0 , irritou o jogador e o técnico Muricy Ramalho no Santos . Apesar da na Libertadores não ter suspensão por amarelo (o clube paga uma multa de R$ 170), havia o risco de receber uma outra advertência e ser expulso. No lance, Neymar comemorou o gol de Dracena tirando uma camisa que estava por baixo da de jogo, sem tirar a principal.

“É um absurdo. Ele não tirou a camisa do time. Reclamei com o bandeira, e ele disse que é a regra. Eles inventam a regra, porque no regulamento não diz nada de tirar a de baixo. O Neymar apanha, apanha, apanha e o adversário não leva cartão. Aí ele leva por nada”, disse Muricy.

O jogador acha que está sendo perseguido. “É o Neymar, então é amarelo. Não fiz nada, não tirei a camisa do Santos. Está ficando complicado”, disse Neymar.

Apesar de chiar pelo cartão de seu principal jogador, Muricy gostou da atuação do uruguaio Jorge Larrionda e levantou uma preocupação para o juiz do segundo jogo contra o Cerro, quarta-feira que vem (1 de junho), em Assunção: o colombiano Roldán Wilmar.

“O Larrionda é experiente. Não dar cartão em falta é um pouco da Sul-Americana. Aqui no Brasil o pessoal já está aprendendo um pouco. Mas o colombiano que apita o jogo em Assunção é mais inexperiente, precisa ter pulso”, disse Muricy.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.