Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Muricy diz que notícias sobre crise interna não são verdadeiras

Treinador lamenta boatos, enaltece importância de Alcides Antunes e lamenta poucas chances criadas

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Desde o desembarque na Cidade do México, segunda-feira, quando falou pela última vez com os jornalistas brasileiros, que Muricy Ramalho só atendeu os repórteres mexicanos. O silêncio e a irritação do técnico do Fluminense tinham um motivo, que só fora revelado durante a entrevista coletiva logo após a derrota de 1 a 0 para o América, do México, no Estádio Azteca.

“Não é legal ficar saindo essas notícias de crise na imprensa, porque nada disso é verdade. Nosso ambiente é bom demais e a única coisa que está acontecendo é que não estamos conseguindo os resultados”, explicou.

As notícias a que Muricy se refere são de que ele e o vice de futebol Alcides Antunes já não falam a mesma língua e que o treinador teria tido problemas com o presidente Peter Siemsen e alguns membros da comissão técnica. Os boatos chegaram a tal ponto que Alcides convocou a imprensa antes do embarque para o México e desmentiu tudo. Após o jogo, o treinador endossou as declarações do dirigente.

“No Fluminense é fácil de trabalhar porque só tem uma pessoa que fala sobre o futebol do clube que é o Alcides. Ele nos ajudou muito em 2010 e continua fazendo a mesma coisa este ano”, afirmou o treinador, que fez um alerta antes de encerrar o assunto:

“Ano passado não vazava nada que acontecia aqui dentro e este ano algumas notícias que não são verdadeiras estão vazando. A nossa assessoria de imprensa tem que começar a tomar cuidado com isso”.

Sobre o resultado negativo na Cidade do México em si, Muricy pouco falou. Até porque o treinador tem como hábito não falar sobre seus atletas individualmente. No entanto, ao ser perguntado sobre o desempenho de Conca, o técnico do Fluminense se esquivou, mas deu a entender de que não gostou da atuação do meio argentino.

“Eu não falo de jogador individualmente. A gente sabe que o Conca não fez a pré-temporada com o grupo e que a parte física está fazendo falta, mas aqui a gente discute apenas o desempenho do time. Ele tem muito crédito”, disse Muricy, que lamentou as poucas oportunidades criadas pela equipe:

“É Difícil falar do meio-campo, da defesa ou do ataque. Eu gosto de falar do time. Muitas vezes você defende bem em um jogo e nem tem uma defesa tão boa assim. Estamos marcando bem, mas estamos criando pouco. Precisamos chegar mais ao ataque”.
 

Leia tudo sobre: Copa Libertadores 2011Fluminense

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG