Se eu não vencer, fico doente - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Muricy avisa: Se eu não vencer, fico doente

Para treinador tetracampeão brasileiro, trabalho no Fluminense foi o mais difícil de sua carreira

Gazeta Esportiva |

Vencer é uma espécie de obsessão para o técnico Muricy Ramalho. Ganhando títulos desde 2001, com exceção do ano passado, quando dirigiu o Palmeiras, o treinador não quer saber de acomodação por ter conquistado o tetracampeonato brasileiro com o Fluminense e quebrado um jejum de 26 anos do clube sem a principal conquista nacional.

"Eu estou há dez anos tentando me manter em cima. É muito complicado. Eu vivo de vitória. Se eu não ganhar, fico doente, não vivo legal. Ano passado, perdi no mesmo Engenhão que eu ganhei agora. Eu tinha que ganhar de novo", afirmou Muricy, que concretizou o título do Fluminense com um triunfo por 1 a 0 sobre o Guarani, no Engenhão. Neste mesmo estádio, em 2009, o Palmeiras perdeu para o Botafogo, ficou sem o título nacional e fora da Copa Libertadores da América.

Para Muricy, resgatar o Fluminense, que brigou até a última rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado contra o rebaixamento, rumo ao título na temporada seguinte, foi o trabalho mais difícil da sua vida.

"O grande problema que eu encontrei foi convencer as pessoas que elas podiam ganhar. Era um time que brigou três anos para não cair. Tinha que se acostumar a ganhar. Havia muita desconfiança, porque chegou na final da Libertadores e perdeu, da Sul-Americana e perdeu", explicou durante a entrega do "Troféu Mesa Redonda".

Para continuar vencendo, Muricy quer que o tricolor invista na estrutura. "Não é possível acabar um jogo e não ter piscina aquecida para fazer um treinamento diferente. Isso não existe em um grande clube. Eles me prometeram melhorar a estrutura e eu vou cobrar. Quando combinam alguma coisa comigo, têm que cumprir", avisou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG