Dirigentes evitam falar abertamente que o atual gerente de futebol será subordinado a Rodrigo Caetano

Apesar do clima descontraído e otimista na pré-temporada do Fluminense em Mangaratiba, na Costa Verde do Rio de Janeiro, um assunto ainda é tratado com cuidado especial pela diretoria do clube carioca. Com a chegada de Rodrigo Caetano, novo diretor-executivo , o atual gerente de futebol, Marcelo Teixeira, será subordinado ao ex-dirigente vascaíno. 

Mercado da Bola: Veja as últimas transferências do futebol brasileiro

Durante a apresentação oficial de Caetano , que negociou durante quase um mês com o Fluminense , os cartolas do tricolor evitaram detalhar a nova hierarquia do departamento de futebol, evitando um desgaste e optando pelo discurso de que todos terão o mesmo peso.

Leia mais: Apresentado, Rodrigo Caetano elogia patrocinador e projeto do Flu

"O mais importante é dizer que esse Fluminense não tem vaidade nenhuma. Não tem nada de quem manda ou quem não manda. O clube está se fortalecendo com um profissional competente, que vem fazendo belíssimos trabalhos. O mais importante é que o Flu está pensando grande. Vamos trabalhar todos em conjunto", declarou o vice-presidente de futebol, Sandro Lima.

Veja mais: Jean revela preferência em atuar como volante no Flu

O presidente Peter Siemsen também reforçou o discurso de união. "O presidente e vice têm papel estratégico e também decisório, enquanto os detalhes diários ficam com os executivos, como em uma empresa. O grupo toma as decisões em conjunto", disse o presidente do Fluminense .

Rodrigo Caetano foi apresentado oficialmente na última segunda-feira
Photocamera
Rodrigo Caetano foi apresentado oficialmente na última segunda-feira

Porém, com a insistência dos repórteres em saber quem tomaria as decisões e a quem os jogadores deveriam se reportar quando tivessem algum problema, o presidente da patrocinadora do Fluminense , Celso Barros, tomou a palavra para tentar diminuir o clima de desconforto e esclarecer a posição dos cartolas diretamente.

Veja também: Jean chega ao Flu e diz que quer entrar para a história do clube

"Sou o que tem mais tempo de clube, então me sinto à vontade para falar sobre isso. O presidente e o vice são cargos políticos, de indicação, que deve ser aprovada pelo conselho, do qual inclusive eu faço parte. Na função de gerente, o Marcelo irá auxiliar o Rodrigo no futebol e na base. Estamos trazendo um profissional de gestão, formado em administração de empresas para comandar o futebol", disse o presidente da Unimed.

O assunto ainda é tratado com cuidado no clube para não atrapalhar o bom ambiente no clube. Na apresentação de Rodrigo Caetano, Marcelo Teixeira esteve no hotel e abraçou o novo diretor-executivo em sua chegada, mas não ficou para o anúncio oficial ao lado dos outros integrantes do departamento de futebol.

Leia mais: Deco e Fred poderão ser poupados durante o ano, diz preparador

Para Caetano, sua chegada não causará um conflito de funções. "A estrutura do Fluminense não é diferente dos outros clubes. Tem um presidente, um vice-presidente, um gerente de futebol, e eu chego para ser um diretor-executivo. Quanto mais pessoas capacitadas estiverem trabalhando em conjunto, melhor para o clube", explicou o novo dirigente do clube.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.