Ex-atacante da extinta União Soviética estava com 76 anos e sofria do Mal de Alzheimer

selo

O russo Valentin Ivanov, que foi um dos artilheiros da Copa do Mundo de 1962 com a camisa da extinta União Soviética, morreu nesta terça-feira, aos 76 anos. O ex-atacante veio a falecer depois de sofrer por anos com Mal de Alzheimer, doença com a qual vinha convivendo, informou a Federação Russa de Futebol.

Ivanov marcou quatro gols no Mundial disputado no Chile, em 1962, quando o Brasil se sagrou bicampeão do mundo depois de ter levado o seu primeiro título na Copa em 1958, na Suécia. Em solo chileno, a seleção brasileira contou com dois jogadores que ficaram entre os maiores artilheiros da competição, com o mesmo número de gols do jogador russo. No caso, Garrincha, que se consagrou como grande nome do país no torneio, e o atacante Vavá.

Além da dupla de brasileiros e Ivanov, Drazen Jerkovic, da extinta Checoslováquia, o chileno Leonel Sanchez e o húngaro Florián Albert terminaram o Mundial com quatro gols marcados cada um. Curiosamente, Albert, Bola de Ouro do futebol europeu em 1967, morreu na semana passada, aos 70 anos.

Com seus gols, Ivanov ajudou a União Soviética a avançar às quartas de final do Mundial do Chile. Antes disso, ele conquistou a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de 1956, em Melbourne, representando a nação.

Ivanov também passou toda sua carreira como jogador de clube defendendo o Torpedo, da Rússia, pelo qual atuou entre 1952 e 1966. O atacante foi o maior artilheiro da história da equipe, com 124 gols em 287 partidas. Depois de se aposentar, ele assumiu o comando do clube como técnico e se sagrou campeão nacional em 1976.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.