Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mitos de Real e Barcelona se unem em críticas a Mourinho

Di Stéfano diz que técnico errou tática, enquanto Cruyff detona esquema defensivo. Português foi defendido por Rafael Nadal

Francisco De Laurentiis, iG São Paulo |

A escalação do Real Madrid montada pelo técnico José Mourinho no empate de sábado contra o Barcelona não escapou das críticas nem mesmo de Alfredo Di Stéfano, maior ídolo do clube da capital espanhola. Segundo o argentino, o clássico válido pelo Campeonato Espanhol foi jogado por um "rato" (Real) contra um "leão" (Barça). Outro grande mito do futebol, o holandês e ídolo catalão Johan Cruyff também pegou pesado: chamou o português de "medroso" e ironizou suas reclamações sobre a arbitragem.

A crítica de Di Stéfano foi feita em sua coluna semanal no jornal "Marca". O ex-meio-campista afirmou que Mourinho errou ao colocar seu time para jogar no contra-ataque contra o Barcelona, e disse que o time madrilenho não teve "personalidade", além de ter ficado "encurralado". Cruyff bateu na mesma tecla: "Para jogar em casa com sete defensores, tem que ter muito medo. A torcida do Real Madrid geralmente não permite este tipo de atitude de seus técnicos", disse o holandês em sua coluna no jornal "Periódico de Catalunya."

Na partida de sábado, que terminou empatada por 1 a 1, Mourinho entrou em campo com Pepe, Khedira e Xabi Alonso no meio-campo, com o argentino Di María como único armador. Para Di Stéfano, a cautela não serviu de nada: "O time de branco jogou encurralado frente a um rival que dominou o meio de campo durante a partida inteira". Cruyff aproveitou para alfinetar o "futebol de resultados" aplicado pelo português: "Se olharmos este esporte como um espetáculo e divertimento para aqueles que assistem, ele não é um técnico de futebol."

Reuters
Albiol (esq.) fez pênalti e foi expulso, revoltando Mourinho. Cruyff diz que reclamações não tem fundamento
Bastante criticado, José Mourinho foi defendido nesta segunda-feira por um ilustre torcedor do Real Madrid: o tenista Rafael Nadal, número 1 da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). "Pareceu-me adequado o que propôs o Real Madrid. Nem tudo é jogar bonito", afirmou, dizendo que "jogar no mano-a-mano" contra o Barça é perigoso. O multicampeão aproveitou para elogiar o time da capital, dizendo que o clube tem plenas condições de vencer o rival catalão na decisão da Copa do Rei e nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

Barcelona ganha elogios
Se Mourinho foi execrado por Di Stéfano e Cruyff, o time do Barcelona ganhou elogios dos mitos (bem como de Nadal). "Eu gosto muito e fico admirado pelo grande domínio de jogo que o Barcelona tem. Tratam a bola com respeito e adoração, quase a mimando. Ver este time em ação é um deleite", derreteu-se o argentino.

O tenista, campeão do Masters 1000 de Monte Carlo (Mônaco) na última semana, completou: "O Barça vem há anos fazendo coisas espetaculares, e tem uma equipe muito mais coesa que o Real Madrid". Os arquirrivais voltam a se enfrentar nesta quarta-feira, no estádio Mestalla, em Valência. A partida vale o título da Copa do Rei.

Leia tudo sobre: Futebol MundialEspanhaReal MadridBarcelona

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG