Time demorou para anunciar o nome do treinador porque ele ainda tinha vínculo com o São Caetano

Há dez dias sem técnico, a diretoria do Goiás confirmou, nesta quarta-feira, a contratação de Márcio Goiano, que chega para substituir Artur Neto, que não resistiu à má fase.

Márcio Defendi, que assumiu interinamente, conquistou uma vitória na estréia, contra o Boa, mas foi derrotado por Ponte Preta e Criciúma e foi mais um que não conseguiu engrenar na competição.

O novo treinador pediu demissão do São Caetano na segunda-feira, graças à má campanha da equipe no Brasileirão da Série B e também por conta da proposta do Goiás.

Feito que foi exaltado por Kléber Guerra, gestor de futebol da equipe: "Ele lutou para sair de onde estava para vir para cá. Isso valoriza a vinda dele. Ele não vem só pelo salário, mas por um ideal", disse, confiante.

Goiano tem 41 anos e iniciou a carreira de técnico em 2010, quando assumiu o Figueirense e comandou o acesso da equipe para a Série A. Nessa temporada, não conseguiu salvar o Grêmio-SP da queda para a Série A1 do Paulistão, e também fracassou no São Caetano.

A história de Márcio Goiano no Goiás não é de hoje. Ele foi revelado pela equipe no início da década de 90 e, entre as temporadas de 1994 e 1996, foi titular da zaga do Goiás e fez parte do grupo que conquistou duas vezes o Campeonato Estadual.

A confirmação do acerto põe fim à novela que foi criada em torno do anúncio do novo técnico. Kléber Guerra havia prometido revelar o nome até o último sábado, o que não deu certo. No início da semana, disse que já havia contratado um profissional, mas ainda não podia anunciá-lo. Após o pedido de demissão de Márcio Goiano junto ao São Caetano, o caminho ficou livre para o treinador reviver os bons momentos no Goiás, dessa vez como treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.