Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ministro destaca quatro cidades para abertura da Copa do Mundo

"Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Salvador possuem virtudes", diz Orlando Silva, sobre as favoritas

Denise Motta, iG Belo Horizonte |

O ministro dos Esportes, Orlando Silva, listou na manhã desta terça-feira as cidades mais preparadas para receber a abertura da Copa do Mundo de 2014. Estão no páreo, segundo ele, Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Salvador. Silva considera saudável a disputa entre as cidades e listou problemas diferentes enfrentados por elas.

A respeito da capital mineira, onde o ministro cumpre agenda nesta terça-feira, ele citou preocupação referente ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves. O ministro disse ainda que Brasília  enfrenta dificuldades referentes à mobilidade urbana, assim como Salvador. Já em São Paulo o desafio se refere ao estádio, conforme destacou o ministro.

“As cidades têm suas virtudes e seus limites, e é bom que cada uma delas cumpra seu papel. Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Salvador são cidades que podem abrir a Copa de 2014. Cada uma delas tem vantagens relativas”, ressaltou. Mas o ministro fez questão de ressaltar algumas vantagens da capital mineira.

“O governador Antônio Anastasia esteve em Brasília e informou à presidente Dilma Roussef que Belo Horizonte era a cidade mais adiantada. Vendo de conjunto, BH tem um trabalho extraordinário. A cidade de Belo Horizonte é a que está mais a frente do Brasil no item mobilidade urbana", afirmou Orlando Silva. "Creio que é mais que oportuno fazer essa discussão (construção de mais um terminal no aeroporto) e introduzir na pauta do governo federal a ampliação da capacidade aeroportuária de Confins", completou o ministro.

 

Denise Motta
As reformas do Mineirão estão a todo vapor, de olho na Copa de 2014

Sérgio Barroso, secretário extraordinário para a Copa do Mundo em Minas, afirmou estar trabalhando para que a capital mineira vença a batalha contra Brasília, São Paulo e Salvador. “Estamos convencendo o ministro a trocar o Axé pelo pão de queijo. Vamos convidá-lo para a grande inauguração do Mineirão em 31 de dezembro de 2012, quando o estádio já estará pronto para a Copa das Confederações e para a Copa do Mundo”.

Depois da visita ao Mineirão, o ministro e comitiva do prefeito Márcio Lacerda seguiram para visitar outras obras que pela cidade e também o Independência. Aliás, sobre o estádio alternativo para o Mineirão, Orlando Silva preferiu não comentar. Este assunto vai ser um dos temas da conversa entre o ministre e o governador Antônio Anastasia, ainda nesta terça-feira.

Cortes não afetarão obras

Os cortes no Orçamento Geral da União, anunciados pelo Governo Federal na semana passada, não afetarão as obras referentes à Copa 2014, de acordo com o ministro dos Esportes.

“No começo de janeiro, a presidenta Dilma chamou para uma reunião e fez o seguinte comunicado: 'a Copa 2014 é prioridade absoluta do meu governo. É um compromisso com o país, vai gerar empregos e melhorar a qualidade de vida. Parte dos recursos já estão contratados. O contingenciamento é importante para manter estabilidade econômica do país, mas não deve ter nenhum impacto na preparação do mundial da Fifa'”, disse Orlando Silva, citando o discurso de Dilma.

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), acompanhou o ministro durante visita ao Mineirão, na manhã desta terça-feira. Ele teceu duras críticas ao governo federal. “O governo federal está devendo a Belo Horizonte a revitalização do Anel Rodoviário, a ampliação do aeroporto e está devendo uma solução para o metrô”, ressaltou.

Lacerda comentou que na quarta-feira uma equipe da Prefeitura de Belo Horizonte estará em Brasília para participar do lançamento do PAC 2 da mobilidade. “Vamos trabalhar para que o metrô seja bem encaminhado. Agora, o Anel Rodoviário é dívida do PAC 1 e nós esperamos que o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) cumpra a promessa de lançar o primeiro edital agora em abril”.

Fielzão na berlinda

As palavras de Orlando Silva só comprovam que a situação do futuro estádio do Corinthians, apontado como palco para a abertura do Mundial de 2014, não está nada confortável. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, além da própria Fifa, desejam a abertura da Copa em São Paulo por questões comerciais. Além disso, São Paulo tem boas chances de receber o Centro de Imprensa da Copa.

O Corinthians e a a Odebrecht ainda não conseguiram a liberação do dinheiro necessário para a ampliação das obras pelo BNDES. O banco exige ver o projeto novo, que amplia de 48 mil para 65 mil lugares, exigência da Fifa para o jogo de abertura.

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, quer que a Fifa libere R$ 200 milhões para ajudar a iniciar as obras. Ricardo Teixeira já disse ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e ao prefeito paulistano Gilberto Kassab, que parceiros da Fifa vão ajudar a bancar esta ampliação.

Colaboraram Marcel Rizzo e Victor Martins

Leia tudo sobre: copa 2014MineirãoOrlando Silva

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG