Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ministro acredita que Lei da Copa será votada ainda hoje

Aldo Rebelo declarou nesta terça-feira que trabalhará para que decisão sobre a lei saia o mais breve possível

Paulo Passos, iG São Paulo |

Agência Brasil
Aldo Rebelo está otimista sobre a Lei da Copa
O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo participou de evento nesta terça-feira e afirmou que acredita a Câmara dos Deputados aprovará a Lei Geral da Copa. A votação do texto que dá garantias à Fifa para a organização do Mundial de 2014 no Brasil é uma das prioridades do Governo Federal, que já informou que a liberação da venda de bebidas do evento está incluída na lei. A votação sofreu novo atraso na última semana.

Leia também: Mesmo após “chute no traseiro”, Valcke segue na organização da Copa

"Eu creio que sim (a Lei da Copa será votada hoje). Claro que a votação é prerrogativa do Congresso, mas eu vou torcer e trabalhar para que aconteça hoje, ou pelo menos nesta semana", disse o ministro, que esteve um evento sobre mobilidade urbana na Copa do Mundo em São Paulo, onde se reunirá com deputados nesta tarde.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A Lei Geral da Copa foi aprovada na Comissão Especial da Câmara de Deputados e precisa ainda passar pelo plenário da Câmara e do Senado. Na última semana os deputados cancelaram a votação prevista para a ultima quarta-feira. O adiamento aconteceu pela troca de líderes do governo no Congresso e uma interpretação equivocada do documento assinado pelo então presidente Lula em 2007, que deu garantias à Fifa para a organização do torneio no Brasil.

Confira ainda: Fifa pede substituição imediata de Teixeira em comitê

Reuters
Blatter esteve em Brasília na semana passada e ouviu garantias do governo
A Casa Civil chegou a informar os deputados de que não era necessário incluir a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios na Lei Geral da Copa. A medida era para tentar adiantar a votação, porém, horas depois do anúncio o Planalto voltou atrás e divulgou que reconhece as garantias firmadas em 2007 e que aprovará o texto com a liberação na venda de cerveja no Mundial de 2014 e na Copa das Confederações. A Fifa tem como um de seus principais patrocinadores a marca de cerveja Budweiser.

E mais: Dilma põe Lei da Copa entre prioridades em reunião com líderes

"Há uma ideia clara do compromisso de Estado assumido pelo governo Lula. Compromisso assumido e cumprido por quem antecedeu o Brasil na organização do Mundial e pelos países que vão receber o torneio em 2018 (Rússia) e 2022 (Catar)", afirmou Rebelo.

Leia também: Blatter vive dia típico de político brasileiro na capital federal

Na última sexta-feira o presidente da Fifa esteve no Brasil reunido com a presidenta Dilma Roussef e com o presidente da Câmara dos Deputados Marco Maia. Nos dois encontros o dirigente ouviu que o país cumpriria as garantias dadas à entidade.

Getty Images
Jérôme Valcke irritou o governo brasileiro com suas declarações
"Chute no traseiro "
Em São Paulo, o ministro evitou comentar a declaração do presidente da Fifa Joseph Blatter de que o secretário-geral da entidade Jérôme Valcke seguirá na organização da Copa no Brasil. O dirigente da Fifa teve seu nome vetado pelo Governo Federal como interlocutor da entidade com o Brasil após afirmar que o país precisava de um 'chute no traseiro' para acelerar as obras e a votação da Lei Geral da Copa.

Relembre: Valcke pede que Brasil 'ponha casa em ordem' por Copa

"O interlocutor do governo é definido pelo governo, mas não podemos substituir a Fifa na escolha do responsável pela Copa. Na interlocução com o brasil, serão outros quinhentos", declarou Aldo Rebelo. "Estamos pensando na lei geral da copa. Depois iremos nos preocupar com outras questões como essa", completou o ministro.

Leia tudo sobre: copa 2014fifaaldo rebelolei geral da copa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG