Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Milan vai decidir futuro de Ronaldinho

Times fazem estratégias diferentes para conseguir mesmo objetivo, mas italianos que resolverão destino

Danilo Lavieri e Hector Werlang, iG Esportes |

Objetivo comum, estratégias diferentes. É assim que Grêmio e Palmeiras tentam seduzir Roberto de Assis Moreira, o empresário e irmão de Ronaldinho Gaúcho, 30 anos. Porém, o agente fez uma revelação surpreendente em entrevista ao iG: é o Milan que decidirá o futuro do meia.

“É lógico que temos opinião, mas é o clube que vai bater o martelo. Ainda há contrato em vigor. Não há nada definido. Novidade só em janeiro”, disse Assis.

O vínculo de Ronaldinho com os italianos vai até 30 de junho de 2011. É aí que começam as diferenças entre as direções. Paulo Odone, presidente gremista que anunciou acerto salarial com o atleta nesta quarta-feira, acredita que Assis conseguirá a liberação sem custos.

Assessor especial da presidência do Palmeiras, Antônio Carlos Corcione adotou o discurso de tirar o time de campo: afirmou que o clube não conseguiu patrocínios necessários para viabilizar a contratação. Porém, o trabalho nos bastidores é intenso. Oferecer futura vantagem ao Milan, como a preferência pela compra de algum jogador, é uma opção.

O que se assemelha nas duas ofertas é a composição entre salário fixo e cotas de patrocínios. Apesar de nenhum dirigente falar publicamente, o Grêmio estuda pagar R$ 300 mil fixo de ordenado a Ronaldinho. Outros R$ 800 mil viriam de empresas e investidores totalizando R$ 1,1 milhão.

Serão mais de R$ 550 mil fixos na equipe paulista, além de um valor que vai variar de acordo com o desempenho dentro de campo. Se o jogador participar de mais de 50% das partidas, por exemplo, uma verba extra é acrescentada. Se o time for campeão, outra porcentagem é adicionada. O valor total, caso consiga cumprir tudo o que for proposto, pode chegar perto de R$ 1,3 milhão.

Outros argumentos também são usados. Cartolas gremistas lembram que Ronaldinho nasceu para o futebol no Olímpico e apostam na força da camisa tricolor. O Palmeiras, por sua vez, mantém a confiança de que o jogador escolherá ser treinado por Luiz Felipe Scolari, seu treinador no pentacampeonato mundial com a Seleção.

O certo é que a imprensa italiana noticia que o Milan precisa diminuir custos – Ronaldinho custaria 8 milhões de euros (R$ 17,7 milhões) por temporada. O jornal Corriere dello Sport noticiou a viagem de Adriano Galliani ao Brasil para tratar da rescisão contratual de Ronaldinho com Assis, fato negado pelo agente.

“Ele até pode ter vindo para cá, afinal, tem muita neve por lá agora”, desconversou o empresário. Após as festas de Natal e Ano Novo, Assis deverá viajar a Milão para definir a situação do irmão. Até lá as duas torcidas sonham com o anúncio da contratação.

Leia tudo sobre: palmeirasgrêmiogremiofutebolronaldinho gaúcho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG