Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Milan segura pressão, bate Inter e retoma liderança do Italiano

Ibrahimovic sofreu pênalti e o converteu no único gol do nervoso clássico de Milão. Houve expulsão e Materazzi saiu de ambulância

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860300819&_c_=MiGComponente_C

Em um clássico de equipes esfaceladas pelos desfalques, a Internazionale mandou o jogo contra o Milan com muitos problemas para escalar o time. Em melhor fase, o time rossonero se valeu da ótima fase do sueco Zlatan Ibrahimovic e da boa partida do brasileiro Robinho para dominar o time nerazurro e vencer o derby della madonnina por 1 a 0, pelo Campeonato Italiano.

O gol do confronto foi marcado por Ibra, ex-jogador da Inter de Milão, logo aos cinco minutos de jogo, em um pênalti cometido pelo experiente e polêmico zagueiro Marco Materazzi em jogada pessoal do camisa 11 milanista. O jogo, no entanto, foi bastante disputado e contou com uma briga no segundo tempo, com um expulso para a equipe vermelha.

Também na etapa final, Materazzi sofreu um forte choque com Ibrahimovic em uma disputa de bola, e saiu de campo. Sem mesmo conseguir ficar em pé, ele foi substituído e deixou o gramado com a ajuda da maca, em direção à ambulância.

O resultado foi, ainda, acompanhado de perto pelo polêmico atacante italiano Mario Balotelli. Jogando atualmente no Manchester City, o ex-jogador da Inter surpreendeu ao ir para o estádio San Siro assistir ao derby, e torcer para o Milan - time que, mesmo enquanto atleta nerazurro, havia declarado ser fã do rival durante a infância.


O jogo
Com um time mais jovem que de costume, o técnico Rafa Benitez não contou com os brasileiros Julio César e Maicon e o argentino Samuel, o que enfraqueceu bastante a defesa campeã da Liga dos Campeões da última temporada. Os experientes Castelazzi, Córdoba e Materazzi, todos com no mínimo 35 anos, tentaram substituir os ausentes.

Mas rapidamente ficou provado que não seria fácil para os interistas. Logo aos quatro minutos, Ibrahimovic fez boa jogada na entrada da área, driblou o zagueiro italiano e foi calçado. Pênalti indiscutível, que o próprio sueco cobrou e converteu, abrindo o placar do jogo.

O resultado foi como uma ducha de água fria nos mandantes do jogo, que levaram um baile do renovado Milan de Robinho, que começou o jogo, Ibrahimovic e Seedorf, bastante participativo no início da partida. E também de Gattuso, que aprontou das suas ao dar uma de suas costumeiras entradas feias no jovem John Obi, aos 19 minutos. O volante do Milan levou apenas o amarelo.

Após pressão milanista, aos 35 minutos Obi sentiu uma lesão muscular e não conseguiu continuar em campo. O jogo passou a ter mais um brasileiro, Philippe Coutinho, que entrou na vaga aberta pelo nigeriano, e fez o time melhorar um pouco em relação à inoperante equipe azul e preta - que pouco fez até o final do primeiro tempo.

Na segunda etapa, o jogo começou quente. Logo aos 14 minutos, Abate fez falta em Sneijder, que reclamou acintosamente e foi repreendido pelo lateral do Milan. O atacante interista Pandev foi tomar as dores e o clima esquentou entre os dois, que levaram cartão amarelo pela briga - como já tinha sido advertido, o milanista foi expulso.

Minutos depois, Ibrahimovic ganhou uma jogada no meio-campo e adiantou, correndo para dividir com Materazzi. Com o pé alto e em velocidade, ele acertou o polêmico zagueiro, que tomou um encontrão e levou a pior, ficando no chão e tendo que ser susbtituído. Ousado, Benitez colocou o francês Biabiany em campo na alteração.

A Inter ficou com dois meias e quatro atacantes em campo, e sem nenhum volante. A pressão foi bastante forte, mas o Milan mostrava-se competente na defesa ao mesmo tempo que faltava armãção de jogadas à Inter. No final, o nervoso clássico terminou em 1 a 0 para o Milan, com o clima mais tranquilo principalmente para os rossoneri, que voltaram à liderança e têm seis pontos de vantagem para a Inter (25 a 19).

Leia tudo sobre: futebol internacionalitaliano 2010itália

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG