Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

México poderá repor jogadores após flagra de cinco em antidoping

Seleção foi autorizada pela Fifa a convocar mais atletas para a disputa da Copa Ouro da Concacaf

AE |

selo

O México vai poder substituir os cinco jogadores que foram retirados da Copa Ouro da Concacaf depois de testarem positivo para a substância proibida clenbuterol, disse Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa, nesta sexta-feira. Valcke afirmou que a entidade mundial aprovou a mudança e estava pedindo para a Concacaf implementá-la.

Os cinco jogadores e a federação mexicana estão culpando carnes contaminadas pelos testes positivos. Os jogadores envolvidos são os defensores Francisco Rodriguez e Edgar Duenas, o goleiro Guillermo Ochoa, e os meio-campistas Christian Bermúdez e Antonio Naelson.

"Dado que nós ainda não sabemos se foi um acidente ou não, a Fifa autorizou a Concacaf a permitir que o México possa substituir estes cinco jogadores na Copa Ouro", disse Valcke. "Não é uma substância muito eficaz, e é por isso que este caso levanta tantas perguntas".

Valcke disse que os cinco jogadores devem ser impedidos de jogar até que uma investigação esteja concluída. "É muito estranho ver tantos jogadores com teste positivo para uma substância assim, ao mesmo tempo, mas tanto a Fifa como a Wada têm decidido que esses jogadores não podem jogar no momento", acrescentou.

Os jogadores e alguns dirigentes culparam o consumo de carne contaminada pelos resultados positivos, que ocorreram em maio, durante a preparação para a Copa Ouro, nos arredores da Cidade do México. Atual campeão da Volta da França, o espanhol Alberto Contador deu positivo para clenbuterol durante a prova e também culpou uma carne contaminada.

As autoridades agrícolas mexicanas colocaram em dúvida a acusação, dizendo que existem pouquíssimos casos de contaminação. No entanto, o presidente Felipe Calderón reconheceu que a contaminação é um problema no país. O México enfrenta a Guatemala no sábado, em New Jersey e, apesar dos desfalques, se classificou em primeiro lugar no seu grupo.

Leia tudo sobre: méxicocopa ourofifaantidopingfutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG