Partida acontecerá em Torreón, que recentemente ganhou destaque por conta de uma troca de tiros nos arredores do estádio Corona

A Federação Mexicana de Futebol confirmou nesta segunda-feira um amistoso contra a seleção brasileira no dia 11 de outubro, na cidade de Torreón, que recentemente ganhou destaque por conta de um tiroteio nos arredores do estádio Corona.

"A partida contra o Brasil segue de vento em popa", declarou o secretário-geral da Federação, Decio de María Serrano, ao terminar uma reunião do comitê interno de segurança. Isso porque, o órgão acabou se responsabilizando pela confirmação da partida no mesmo local.

O tiroteio ocorrido nas imediações do estádio Corona, dia 20 de agosto, causou pânico no campo e nas arquibancadas. Os jogadores correram para o vestiário, os torcedores desceram até o gramado, e o estádio acabou sendo suspenso.

Com o inusitado episódio, não relacionado diretamente com o futebol, era esperado que o amistoso contra o Brasil ganhasse um novo palco, no entanto, essa possibilidade foi descartada após a decisão anunciada pela Federação.

Neste fim de semana, a equipe Santos Laguna voltará a usar seu estádio diante do rival Chivas de Guadalajara, líder do torneio, na disputa da oitava rodada do Campeonato Mexicano. Essa será a primeira partida disputada no estádio desde o incidente.

Por causa da invasão da torcida no estádio, o secretário-geral anunciou que a Federação tentará eliminar as grades metálicas nos estádios de futebol no México. A medida faz parte da revisão dos protocolos de segurança.

O problema é que grande parte dos estádios mexicanos possuem essas grades metálicas, usadas para separar os torcedores. Entre os estádios que precisam de reformas, estão: o Asteca; o Nemesio Díez, de Toluca; o Jalisco, de Guadalajara; o Olímpico e o Azul, da Cidade do México, entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.