Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mesmo em minoria, Corinthians vence também nas arquibancadas

Empresa de engenharia realiza medição das vibrações no estádio do Morumbi constataram corintianos ¿pulando mais¿

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861541493&_c_=MiGComponente_C

Mais de 42 mil pessoas compareceram ao estádio do Morumbi na tarde de domingo para o clássico entre São Paulo e Corinthians, o melhor público dos anfitriões como mandantes na atual edição do Campeonato Brasileiro. Mas mesmo estando em maioria nas arquibancadas, a torcida são-paulina além de ver seu time perder, também foi derrotada pelos corintianos.

Uma medição científica monitorou durante toda a partida as vibrações das torcidas por meio de sensores eletrônicos - chamados de acelerômetros - instalados nas arquibancadas. Para evitar a desigualdade, já que os são-paulinos eram cerca de 39 mil e os corintianos apenas 3 mil, os sensores na área dos donos da casa foram instalados apenas na área onde fica a torcida organizada do São Paulo.

O Corinthians saiu na frente e teve mais chances de gol. Essas ocorrências em campo motivaram a torcida a pular mais, explicou o engenheiro Marco Juliani, diretor técnico da IEME Brasil, empresa responsável pela medição.

O comportamento das torcidas é medido em mm/s² e os corintianos venceram graças ao pico de 455 mm/s² no momento do segundo gol, de Dentinho, que garantiu a vitória. A marca máxima da torcida são-paulina foi logo no início do jogo, quando chegou a 355 mm/s². Além disso, o Corinthians venceu também se for considerada a média de vibração ao longo de toda a partida.

A comparação entre os picos de vibração dos dois times mostra vantagem de 30% para a torcida do Corinthians, afirmou Juliani.

Esse monitoramento faz parte de um programa de segurança para avaliar continuamente a condição da estrutura de estádios. O objetivo é avaliar se as arquibancadas respondem adequadamente quando submetidas a cargas dinâmicas. Essa, porém, foi a primeira vez que a empresa posicionou os sensores de forma que pudesse comparar o comportamento das torcidas rivais.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthiansfutebolsão paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG