Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mesmo com lesão, Emerson já tem o dobro dos jogos que fez em 2010

Chamado de 'chinelinho, 'Sheik' jogou 23 jogos neste Brasileiro. Pelo Flu, participou de apenas 11 partidas

Bruno Winckler, iG São Paulo |

A expressão "chinelinho" acompanha Emerson desde que voltou ao Brasil para defender o Flamengo em 2009. No futebol, o termo é usado para definir jogadores que atuam pouco por passarem mais tempo em tratamento, longe dos campos, de chinelo, do que com chuteiras no gramado. No Fluminense , em 2010, a rótulo continuou perturbando Emerson. No Corinthians , em seis meses, ele não conseguiu se livrar da pecha. Em 2011, contudo, o chinelo de Emerson tem ficado mais nos armários do que nos seus pés.

Bruno Winckler
Emerson, no centro, voltou aos treinos na semana passada

Siga a página do iG Corinthians no Twitter

Autor do gol do título do Fluminense em 2010, Emerson jogou apenas 11 dos 38 jogos da campanha do time carioca. Pelo Flamengo, foram 14 jogos em 2009. Já no Corinthians, Emerson esteve em campo em 23 dos 32 jogos deste Brasileiro. A ausência do jogador nos cinco jogos que anteceram o duelo contra o Avaí, domingo, quando Emerson marcou o primeiro gol da vitória por 2 a 1 , motivaram críticas que Emerson julgou injustas.

Leia também: Tite revela “debate” no banco antes de colocar Emerson no jogo

"Eu fiquei machucado. Eu assisto televisão. Leio jornal. Tem gente que, pode até ser sem maldade, fala que eu me machuco demais. Me machuco porque futebol é um esporte de contato e todos estão sujeitos a isso. As pessoas falam muito, mas cheguei em 2009 ao Brasil, pouca gente me conhecia depois de passar grande parte da minha carreira fora. E não me machuco tanto. É normal, estou voltando e brigando pelo melhor do Corinthians. É muita vontade”, disse o jogador de 32 anos que passou maior parte da sua carreira entre clubes japoneses e do Oriente Médio, motivo pelo qual ganhou o apelido de "Sheik".

E mais: Rei das viradas, Corinthians consegue reverter placar pela quinta vez

Emerson não jogou as partidas contra Vasco e Atlético-GO (por suspensão) e contra Botafogo, Cruzeiro e Internacional (com lesão na coxa direita). Com as ausências o termo "chinelinho" voltou a incomodá-lo. Segundo Tite, Emerson teria condições de atuar por apenas 30 minutos contra o Avaí. A contusão de Jorge Henrique, ainda no primeiro tempo, forçou a mudança antes do previsto. Tite relutou em colocá-lo em campo e só o fez depois de assegurar-se que o jogador tinha feito na semana todos os trabalhos que seus auxiliares o haviam passado.

Questionado até mesmo dentro do clube, Emerson evitou falar sobre superação por ter jogado mais tempo do que recomendaram os preparadores físicos do clube. Preferiu exaltar o trabalho de todos no clube. "O Corinthians é formado por muita gente séria, que quer bem do clube. Eu estou empenhado, como estão funcionários que ficam lá no clube para fazer nosso lanche, limpando nosso vestiário. São pessoas que merecem ser lembradas e nem sempre são", disse Emerson.

Leia tudo sobre: corinthiansemersonbrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG