Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mesmo com eliminações, Botafogo diz que não mudará planejamento

Equipe decide futuro no Carioca e na Copa do Brasil, mas gerente diz que não fará mudanças bruscas

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

Em quatro dias, o Botafogo decide seu futuro no primeiro semestre desta temporada. A equipe luta para tentar se classificar para as semifinais da Taça Rio neste domingo, contra o América, e na próxima quarta-feira, encara o Avaí pelas oitavas de final da Copa do Brasil, após ter empatado a primeira partida em 2 a 2. Porém, mesmo com a possibilidade de ser eliminado nas duas competições, o técnico Caio Júnior garante que não mudará o projeto traçado para o Botafogo.

Divulgação
Caio Júnior diz que não mudará filosofia de trabalho e planejamento no Botafogo
Em diversas entrevistas, o treinador já admitiu que sua contratação também foi feita para que a equipe mudasse o estilo de jogo e tivesse um time mais ofensivo, com mais posse de bola. A mudança, que pode levar tempo, será mantida pelo treinador, que descarta abandonar o planejamento inicial.

"O projeto era para o Campeonato Brasileiro, de assumir o time só no fim de maio. Peguei a equipe no meio de duas competições em andamento e sabia que seria difícil, mas não vamos mudar o que estava planejado. Tenho o apoio da diretoria para isso, o que é muito importante. Acredito que esses jogadores têm potencial e vamos acertar a equipe com treinamento e muito trabalho de todos", declarou Caio Júnior.

A versão é confirmada pelo gerente de futebol do Botafogo, Anderson Barros. O dirigente admite problemas de adaptação da equipe no começo do trabalho do novo técnico, e a possibilidade da equipe ficar fora das duas competições, mas destaca que uma mudança total do plantel, ou mesmo de treinador, está totalmente descartada.

"Temos percebido que as coisas não estão funcionando. Com a mudança de treinador, veio também a mudança de filosofia, e sabemos que podemos pagar um preço por isso, que é algo demorado, não acontece da noite para o dia. Em 2009, mudamos e quase nos demos mal, escapamos no fim do rebaixamento. Não haverá mudanças bruscas", declarou Anderson Barros.

 

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG