Entidade máxima do futebol terá eleição para presidente em meio a acusações de corrupção

O australiano Les Murray, um dos 13 membros do Comitê de Ética da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), disse que a entidade precisa de uma completa reforma estrutural. O dirigente participou da audiência de domingo em que os membros do Comitê Executivo Mohamed Bin Hammam e Jack Warner foram suspensos por conta de acusações de suborno .

"Eu acho que a reforma tem que ser muito profunda. Provavelmente, tem que ser estrutural e também uma reforma constitucional", disse Murray ao jornal "Sydney Herald". "A estrutura da organização no momento é muito política. As decisões são baseadas em motivos políticos, e isso não é saudável para qualquer organização. Isso simplesmente tem que mudar".

Presidente da Confederação Asiática de Futebol, Bin Hammam retirou sua candidatura para a eleição presidencial pouco antes de ser suspenso sob a acusação de pagamento de suborno a dirigentes caribenhos em troca de voto. Já o presidente Joseph Blatter foi absolvido pelo Comitê de Ética , permitindo que ele permaneça na presidência da Fifa. O suíço de 75 anos é o único candidato da eleição de quarta-feira.

Murray disse que Blatter precisa realizar reformas na Fifa. "A plataforma que vai executar ou anunciar na quarta-feira vai nos dizer qual é o seu programa, mas se é Joseph Blatter, ou qualquer outra pessoa, espero que o presidente da Fifa entenda o grande problema que a Fifa tem com a sua imagem e que precisa consertá-lo", disse Murray.

O australiano disse que o Comitê de Ética da Fifa tem lidado bem com as denúncias de corrupção. "Até agora, quatro membros do Comitê Executivo da Fifa foram provisoriamente suspensos. Estes não são funcionários sem importância, estes são alguns dos homens mais poderosos do futebol", disse Murray.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.