Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Martelotte faz avaliação positiva de sua passagem como técnico

Em 16 partidas disputadas, o ex-treinador interino do Santos obteve cinco vitórias, seis empates e cinco derrotas

Gazeta Esportiva |

O empate com o Flamengo, em 0 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro, foi o último jogo de Marcelo Martelotte como técnico do Santos. O profissional, que assumiu interinamente o cargo após a demissão de Dorival Júnior, agora volta ao cargo de auxiliar técnico, já que Adilson Batista será o comandante santista na próxima temporada. Em sua avaliação pessoal, Martelotte acredita que fez um bom trabalho no período em que esteve a frente da equipe, apesar de o Peixe ter ficado em oitavo lugar no Brasileirão, com 56 pontos.

Em 16 partidas disputadas, o ex-treinador interino obteve cinco vitórias, seis empates e cinco derrotas, o que lhe deu um aproveitamento de 43,75% dos pontos disputados. Com esse retrospecto, o antigo interino alvinegro rebateu algumas críticas feitas ao seu trabalho, por conta de sua inexperiência como técnico.

"Ninguém pode falar que eu tinha experiência quando eu assumi o time, porque era a primeira vez que eu estava passando por aquilo. No entanto, tive outras qualidades para suprir essa falta de experiência, porque entendo que o trabalho foi bem feito", analisou.

O comandante lembrou ainda que foi escolhido para assumir a equipe na véspera de um clássico contra o Corinthians, em meio a polêmica saída de Dorival da Vila Belmiro. Segundo ele, a sua missão era difícil, pois foi o maior momento de turbulência da equipe durante toda a temporada.

"Aquele momento foi a única crise do Santos no ano. Também a única troca de treinador e o momento mais crítico que o clube passou em 2010. Foi difícil para o time também poder absorver todas essas dificuldades de uma crise e fazer o clássico com o Corinthians. Perdemos jogando bem e rapidamente contornamos a situação, vencendo o Cruzeiro. A partir dali, o ambiente voltou a normalidade. Conseguimos evitar que o ambiente se deteriorasse", ponderou, valorizando o seu trabalho junto ao grupo.

Indagado sobre o fato de o Santos não ter conseguido se manter até o final do Campeonato Brasileiro na briga pelo título, Martelotte tem uma explicação. Segundo o ex-técnico interino santista, a pontuação que o Peixe necessitava para ser campeão era muito alta e, com o acúmulo de alguns tropeços, o time perdeu um pouco da sua motivação para o restante do torneio.

"Se fizermos as contas tendo como base o dia em que eu assumi a equipe, a pontuação que precisávamos para ser campeão era muito alta. Para ganhar o título, só poderíamos ter perdido mais dois jogos. E, apesar de acreditar na disputa do titulo, era praticamente impossível fazer uma pontuação suficiente para alcançar o Fluminense", destacou.

Apesar disso, Martelotte admitiu que o Alvinegro Praiano poderia ter tido um desempenho um pouco melhor nesta reta final de Série A do Brasileirão. "Quando assumi o time, o Santos não disputava título. A nossa colocação era praticamente essa que terminamos. Talvez, com uma participação um pouco diferente poderíamos ter terminado a competição mais próximos dos líderes. Infelizmente, tivemos alguns pecados. Deixamos escapar a vitória em alguns jogos que não poderíamos para que tivéssemos uma posição melhor no campeonato", concluiu.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirosantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG