Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Marta dá show, mas Brasil empata e vê Canadá triunfar

As duas equipes terminaram a primeira fase com sete pontos, mas as canadenses tinham a vantagem do empate pelo maior saldo de gols

Gazeta Esportiva |

Empurrado por quase 20 mil pessoas no Pacaembu, o Brasil ficou muito perto de conquistar o bicampeonato do Torneio Internacional Cidade de São Paulo, que teve sua segunda edição disputada neste ano. Aos 37 minutos do segundo tempo, porém, a capitã Christine Sinclair marcou um lindo gol e definiu o empate por 2 a 2, frustrando a torcida que já festejava.

As duas equipes terminaram a primeira fase com sete pontos, mas as canadenses tinham a vantagem do empate pelo maior saldo de gols. Sabendo disso, o Brasil foi ao ataque desde o começo, mas saiu perdendo com um gol de Belanger, no fim do primeiro tempo. Na etapa complementar, Marta brilhou, marcou dois gols, virou o jogo e deu início à festa que seria frustrada por Sinclair.

Concorrendo ao penta no prêmio Fifa de melhor do mundo, Marta foi a artilheira do torneio com seis gols. Muito ovacionada pelos torcedores de todas as equipes no Pacaembu, ela jogará no Santos até o dia 6 de fevereiro de 2011, para depois retornar aos Estados Unidos.

O terceiro lugar ficou com a Holanda, que bateu o México, vice-campeão em 2009, por 2 a 1, na preliminar. Curiosamente, parte da torcida brasileira "adotou" as europeias desde a primeira rodada e comemorou a vitória.

O jogo
Novamente postado no 3-5-2, com a meio-campista Erika improvisada como zagueira, o Brasil entrou em campo com uma modificação em relação ao último compromisso: contundida, Grazielle deu lugar a Gabriela, que começou bem e, ao lado de Marta, ajudou o Brasil a dominar as ações.

Mas ao contrário do último jogo da primeira fase, as canadenses não entraram em campo pensando apenas no setor defensivo e deram um susto nas brasileiras aos 15 minutos, quando Aline bobeou à frente de Sinclair, que rolou para Belanger chegar batendo, sem direção.

No meio da etapa inicial, o jogo teve uma rápida parada técnica em virtude do forte calor. Fora dos gramados desde a rodada inaugural da competição por causa de uma luxação no ombro, a atacante Cristiane acompanhou a partida no banco de reservas e aproveitou a pausa para orientar a jovem Thaisinha, sua substituta, que sofria com a marcação de Nault.

Aos 29 minutos, nova paralisação: a zagueira Renata Costa sentiu o joelho esquerdo e deixou o campo chorando, com suspeita de lesão grave, para a entrada de Marina. O Brasil seguiu no ataque, mas exagerou nos cruzamentos e não foi eficiente. Para piorar, Tancredi foi ao fundo pela esquerda e cruzou para Belanger, que cabeceou livre e abriu o placar para o Canadá, aos 43.

Precisando da virada, a seleção brasileira voltou para o segundo tempo com Andréia Rosa e Daniele nos lugares de Erika e Thaisinha. A equipe retornou errando muito e quase sofreu o segundo em jogada de Sinclair, mas Marta fez a diferença aos nove minutos: ela disparou em velocidade, aplicou uma meia-lua na entrada da área e tocou na saída de Labbe, marcando um golaço.

O Brasil melhorou depois do empate e, guiado pelo talento de Marta, encurralou as canadenses. Aos 24 minutos, Labbe saiu errado após cobrança de falta e Rosana acertou o travessão no rebote. No lance seguinte, a bola bateu na mão de Marie-Eve Nault em chute de Daniele: pênalti e expulsão da defensora.

Em grande tarde, Marta pegou a bola e bateu rasteiro, no canto direito da goleira, e marcou o aquele que seria o gol do título brasileiro. Mesmo em desvantagem numérica, o Canadá foi ao ataque e já havia obrigado a goleira Andréia a fazer grande defesa em chute de Belanger quando Christine Sinclair mostrou porque é considera uma das melhores jogadoras do mundo.

Aos 37 minutos, ela dominou pela meia direita e bateu colocado, de longe, com muita categoria. A bola encobriu a arqueira brasileira e ainda bateu na trave antes de morrer no fundo das redes e calar o Pacaembu, que já comemorava o titulo. O Brasil insistiu, a torcida empurrou, mas o gol que mudaria a alegria de lado não aconteceu, mesmo com a goleiro Andréia indo ao ataque.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 x 2 CANADÁ

Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu)
Data: 19 de dezembro de 2010 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitra: Katiucia da Mota Lima (SP)
Assistentes: Maria Eliza Correira Barbosa (SP) e Maíza Teles Paiva (SP)
Renda: R$ 149.650,00
Público: 17.264 pagantes (18.784 no total)
Cartões Amarelos: Daniele (Brasil); Marie-Eve Nault e Belanger (Canadá)
Cartão Vermelho: Marie-Eve Nault (Canadá)

Gols:
CANADÁ:
Belanger, aos 11 minutos do primeiro tempo, e Christine Sinclair, aos 37 do segundo tempo.
BRASIL: Marta, aos nove e aos 27 minutos do segundo tempo.

BRASIL: Andréia; Aline, Erika (Andréia Rosa) e Renata Costa (Marina); Fabiana, Ester, Formiga, Gabriela e Rosana; Marta e Thaisinha (Daniele)
Técnico: Kleiton Lima

CANADÁ: Labbe; Wilkinson, Zurrer, Marie-Eve Nault e Carmelina Moscato; Kaylyn Kyle, Diana Matheson, Chadman (Gayle) e Tancredi (Stewart Chelsea); Belanger e Christine Sinclair
Técnica: Carolina Morace
 

Leia tudo sobre: BrasilCanadáMartaFutebol Femininoselecaoseleção

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG