Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Marquinho e Julio Cesar vivem a melhor fase no Fluminense

Apoiador e lateral-esquerdo condicionam bom momento à chegada do técnico interino Enderson Moreira

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Na teoria, eles não são considerados titulares, entre os torcedores, nunca foram unanimidades, mas a cada partida se firmam no time do Fluminense. Destaques na vitória de 3 a 2 sobre o Argentinos Juniors, que garantiu ao clube a histórica classificação às oitavas-de-final da Libertadores, Marquinho e Julio Cesar condicionam a boa fase à chegada do técnico interno Enderson Moreira.

“Ele é um estudioso, tem ótimo diálogo com os jogadores e desde sua chegada me sinto mais confiante e meu futebol cresceu. Fiz bons jogos no ano passado com o Muricy Ramalho, mas acho que esse é o meu melhor momento desde que cheguei ao Fluminense”, afirma Julio Cesar.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo

Mas nem sempre foi assim. Eleito o melhor lateral-esquerdo do Brasileirão de 2009, Julio Cesar desembarcou nas Laranjeiras com status de estrela. Mas depois de um ótimo começo, o jogador teve altos e baixos até cair em desgraça com a torcida após a derrota por 2 a 0 para o Boavista. Mas o apoio da família e dos companheiros foi fundamental na volta por cima.

“Muitos jogadores não teriam coragem de enfrentar o América-MEX (pela Libertadores) depois do que eu passei contra o Boavista. Mas eu não fujo da responsabilidade, tenho personalidade e tive da família e dos meus companheiros para seguir trabalhando e dar a volta por cima”, afirmou.

Marquinho não chegou a enfrentar a ira do torcedor do Fluminense como Julio Cesar, mas jamais teve uma trajetória tranqüila nas Laranjeiras. Sempre preterido com as contratações de medalhões, o jogador jamais jogou a toalha, se mostrou presente nos momentos complicados do clube desde 2009 e conquistou a confiança dos treinadores.

"Eu fico feliz de poder ter participado desses momentos. As vezes a gente não tem a exata noção da marca que esse time de guerreiros está deixando e o significado dessas vitórias", disse Marquinho. 

Com Enderson Moreira não foi diferente. Depois de perder a vaga para Souza logo no primeiro jogo sob o comando do novo treinador, Marquinho acatou a reserva mesmo contrariado, se empenhou nos treinos e recuperou a condição de titular contra o Nova Iguaçu, na última rodada da Taça Rio.

“Sou explosivo e as vezes não gosto de ficar fora do time, mas sempre respeito as decisões dos treinadores e os jogadores que estão em campo. Eu acho que o mérito do Enderson é que ele mantém o mesmo estilo de jogo e mexe muito pouco no time. Ele dá uma sequência para os jogadores se adaptarem ao esquema e quem entra sabe o que fazer. O jogado se sente mais confiante”, explicou Marquinho.
 

Leia tudo sobre: Copa LIbertadores 2011FluminenseJulio CesarMarqunho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG