Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mário quebra silêncio, nega arrependimento e sonha com seleção

Lateral-direito do Grêmio só aceita explicar motivos de recusa se for procurado por Mano Menezes

Hector Werlang, enviado iG a Bento Gonçalves |

Rafael Pfeiffer/Grêmio
Antes de dar entrevista, Mário treinou como tiular de Caio Júnior
“Não vou falar sobre isso. Só quero saber do Grêmio”.

Esta foi a frase mais usada por Mário Fernandes na sua primeira entrevista após se recusar a defender a seleção brasileira . Ao quebrar o silêncio que durava desde 26 de setembro de 2011, o lateral-direito negou estar arrependido. Disse que aceita explicar os motivos da decisão apenas se for procurado pelo técnico Mano Menezes. E, descartando qualquer tipo de prejuízo na carreira, projetou voltar a defender o Brasil nos Jogos Olímpicos.

Mercado da Bola: fique por dentro das últimas negociações do futebol brasileiro

A entrevista, em Bento Gonçalves, onde o Grêmio realiza a pré-temporada, durou cerca de 15 minutos. Teve momentos embaraçosos. A cada pergunta sobre o tema, o jogador ficava vermelho. Poucas risadas quebraram o clima. Uma delas veio quando a pergunta tratou de eventual arrependimento:

“Não me arrependo de nada (risos). Se o Mano quiser, explico os motivos pessoalmente. É claro que penso em voltar. Os Jogos Olímpicos sempre foram o meu foco na seleção”.

Twitter iG Grêmio: Notícias e comentários em tempo real

O assessor de imprensa Vitor Rodriguez respondia com “foi combinado que era só sobre Grêmio” à insistência dos repórteres. Ao negar estar chateado com a situação, Mário revelou não ter gostado da perseguição dos jornalistas após não ter embarcado de Porto Alegre para Belém, onde o Brasil enfrentaria a Argentina no segundo amistoso do Superclássico das Américas. O motivo da desistência, embora não tenha sido revelado pelo jogador, seria uma noitada que o fez perder o voo.

“Filmaram a minha casa. Parecia um criminoso, que tinha matado alguém, o que não era o caso”, reclamou o jogador.

Mário estava impedido de dar entrevistas desde o caso. A direção temia tumultuar o ambiente para o jogador, que também teve outra polêmica na curta carreira. Em 2009, logo após ser contratado pelo clube gaúcho, fugiu de Porto Alegre. Foi considerado desaparecido pela polícia até ser encontrato quatro dias depois no interior de São Paulo.

O Grêmio volta a treinar na tarde desta segunda-feira.

Entre para a Torcida Virtual e convide seus amigos

Leia tudo sobre: grêmiomário fernandesseleção

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG