Jogadores afirmam que o Fluminense poderia ter matado a partida no primeiro tempo, quando teve o domínio

Visivelmente abalados com a derrota que deixou o Fluminense em situação dramática no Grupo 3 da Libertadores, os jogadores Mariano e Emerson deixaram o estádio centenário lamentando as bobeadas nos dois gols de Santiago Garcia e reconheceram que o time na segunda etapa não foi nem sombra da que dominou os primeiros 45 minutos.

Depois de ser a principal arma do Fluminense no primeiro tempo, Mariano pouco foi acionado na segunda etapa. Na sápida do campo, o lateral-direito admitiu que o time achou que ganharia quando quisesse.

“Depois de um bom primeiro tempo, a gente achou que faria o gol a qualquer momento no segundo. A verdade é que entramos mole no segundo tempo e sofremos dois gols. Temos que levantar a cabeça e acreditar até o fim”, disse Mariano.

Mais uma vez apagado, Emerson foi um pouco mais duro na sua análise e mostrou até um certo menosprezo com a equipe adversária.

“Tivemos chances de matar o jogo no primeiro tempo, mas no futebol existe um velho ditado que diz quem não faz, leva, e foi isso que aconteceu. Tomamos dois gols em falhas nossas no segundo tempo e perdemos, Mas como todo respeito a eles, o Nacional não é time para vencer a gente”, afirmou o Sheik.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.