Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Marcos "morre" porque não conseguia mais entrar em forma

Jogador admitiu que encerrou a carreira porque estava jogando acima do peso. Choro não foi evitado ao falar do pai

Danilo Lavieri e Marcel Rizzo, iG São Paulo |

Marcos não conseguia mais entrar em forma. As dores no joelho esquerdo não deixavam mais o goleiro treinar com qualidade, o que o fez entrar em campo “gordo” na maioria das partidas que fez em 2011. Por isso o camisa 12 palmeirense, camisa que será eternizada agora, decidiu encerrar a carreira, anúncio feito em 4 de janeiro e que rendeu um evento oficial no início da tarde desta quarta-feira, no Centro de Treinamento do Palmeiras.

Leia também: Palmeiras quer aposentar camisa 12 e faz de Marcos embaixador da Arena

“Não me arrependi ainda não (da aposentadoria). Não estava mais com prazer por causa das dores. Eu percebi que não conseguiria mais entrar em forma, e estava jogando acima do peso. Tem goleiros com muita qualidade no Palmeiras e eu estava atrapalhando. Por isso percebi que este era o momento”, disse o goleiro de 38 anos.

Leia também: Marcos esnoba até Fantástico para "bombar" anúncio da despedida

Ele admitiu que adiou por uma semana a conversa com os jornalistas porque provavelmente choraria muito caso falasse na semana passada. E que, ao chegar em casa depois de ter decidido parar, sentiu que havia morrido.

“Dizem que jogador morre duas vezes, né. Uma quando para de jogar e quando morrer mesmo. E vi que é verdade. Foram tantas homenagens que falei para a minha mulher “olha, me mataram” (risos). Mas é um pouco verdade, porque somos dois personagens: um o Marcos marido da Sônia e pai da Juju, outro o Marcos goleiro do Palmeiras. Este morreu mesmo, porque não vai mais jogar”, disse.

Veja também: Ídolo do Palmeiras, Marcos tem vida muito marcada pelo Corinthians

O ex-goleiro terá um jogo de despedida, anunciado pelo presidente Arnaldo Tirone, em data a ser marcada. Marcos terá liberdade para ir ao clube quando quiser, para conversar com os jogadores. “Isso talvez amenize um pouco a saudade que eu vou sentir. Ainda não sei bem o que vou fazer agora, quero viajar com minha família, porque vocês sabem que jogador nunca está no álbum de família, sempre viajando, jogando. Depois vou ver o que o Palmeiras me oferece”.

Homenagens
Além da camisa eternizada, Marcos será embaixador da Arena Palestra e terá um busto no estádio Palestra Itália, feito que apenas atletas que só defenderam o clube, como Ademir da Guia , Waldemar Fiúme e Junqueira (os únicos com o privilégio, por sinal).

“Esse do busto eu já sabia também. O Palmeiras acha que me deve muita coisa, mas eu que devo muita coisa ao Palmeiras. Tudo que sou é por causa do Palmeiras, ninguém estaria aqui me ouvindo se eu viesse de Oriente (cidade do interior paulista onde nasceu) se não jogasse no Palmeiras”.

Veja também: Marcos teve carreira de milagres e alguns “micos”

“O beicinho tremido”, como ele mesmo se referiu a choro no início da entrevista, acabou acontecendo. Qiando perguntado sobre o que sua mãe achou e o que seu pai, já falecido, acharia de sua carreira e de sua aposentadoria.

“Minha mãe (Antônia) não gostou. Ela até perguntou se não dava para ficar mais um pouquinho, mas eu expliquei tudo para ela. E meu pai (Ladislau) (silêncio e choro)... Ele pedia para preservar o nome e acho que fiz bem isso aí”, disse o ídolo palmeirense. Talvez a última lágrima como goleiro do clube.

Veja um vídeo com as transformações físicas do goleiro Marcos: 

Leia tudo sobre: palmeirasmarcos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG