Tamanho do texto

Os dois ex-jogadores, ídolos da torcida do Palmeiras compareceram às obras do novo estádio nesta quarta-feira

AE
Ídolos da história do Palmeiras, Marcos e Ademir da Guia visitaram as obras da Arena Palestra nesta quarta-feira
Dois dos maiores ídolos do Palmeiras fizeram uma visita às obras da Arena Palestra Itália, nesta quarta-feira. O ex-goleiro Marcos e o ex-meio-campista Ademir da Guia estiveram no estádio para um evento promovido pela construtora responsável pela modernização do local e receberam torcedores.

Leia mais: Reforço, Barcos já foi artilheiro na China e fez gol à la Messi

Cerca de 40 palmeirenses foram selecionados para a visita, depois de uma promoção realizada pela empresa. Os dois ídolos percorreram os principais pontos do estádio e posaram para fotografias. Marcos ainda distribuiu brincadeiras, como quando terminou de subir as escadas de acesso dos vestiários para o gramado.

Veja ainda: Palmeiras anuncia a contratação de Barcos

"Se fosse jogo hoje (quarta), eu falaria para me substituírem agora, porque meu joelho já não aguenta mais", brincou, assim que superou o último degrau. Em seguida, o pentacampeão provocou os torcedores, que foram chamados para uma fotografia em cima do símbolo do clube, posicionado atrás de onde ficava o gol.

"Agora, só ficam os amendoins aqui em cima", sorriu, ouvindo a chiadeira dos torcedores, que negaram fazer parte do grupo de fãs exigentes que assistia aos jogos nas cadeiras cativas do estádio.


Já Ademir da Guia se animou ao observar o andamento das obras, até porque não visitava o local desde a época em que o estádio ainda estava sendo utilizado. "Nós passamos por fora e vemos de longe. Hoje, podemos entender como estão as coisas. Deixou de ser algo distante para se tornar realidade. Isso é positivo".

Para finalizar a visita, os ídolos foram ao último andar do prédio poliesportivo, que tem previsão de ser entregue em fevereiro. Do alto, com o capacete verde da obra, Marcos apontou para o gol em que Zapata perdeu o último pênalti do Deportivo Cali na Copa Libertadores da América de 1999.

"Foi naquele canto que ganhamos a Libertadores", recordou o ex-goleiro, sem esconder a satisfação. Paciente, ainda deu mais autógrafos antes de encerrar a visita de quase três horas. "Estou aposentado, não tenho pressa para nada", brincou Marcos, que deve ser oficializado em breve como embaixador da Arena.