Tamanho do texto

Goleiro e ídolo pede trégua para que time possa voltar à boa fase no Campeonato Brasileiro

A torcida do Palmeiras contestou bastante o desempenho do time no empate por 1 a 1 com o Avaí, na tarde de domingo, em Florianópolis. Porém, na opinião do goleiro Marcos, os protestos não ajudam o time a se recuperar no Campeonato Brasileiro.

"Não entendemos muito. O Palmeiras não tem jogado bem e está sem título faz tempo, mas não é com pressão sobre o jogador que vai ganhar alguma coisa. Sabemos que jogador ganha bem e tem de jogar mais do que agora, mas precisamos de apoio enquanto estivermos jogando. Dentro do Palmeiras, tem muita coisa que a gente não compreende muito bem e prefiro não me meter nessas coisas", afirmou o atleta para a TV Gazeta .

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

O técnico Luiz Felipe Scolari foi um dos alvos dos protestos dos palmeirenses presentes na Ressacada, assim como o volante Marcos Assunção e o atacante Kleber. No entanto, ainda nos vestiários da Ressacada, o Gladiador também discordou de parte das manifestações.

null

"O torcedor pode reclamar pela falta de qualidade em alguns momentos, talvez não sejamos um dos melhores do Brasil tecnicamente, mas não ficamos devendo na vontade", afirmou.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

Na partida em Florianópolis, o Palmeiras teve Rivaldo e Gerley expulsos. Já o Avaí perdeu Rafael Coelho por cartão vermelho quando o adversário alviverde já tinha dois a menos em campo. Entretanto, Marcos discordou dos critérios de Evandro Rogério Roman.

"Não gosto de reclamar muito de arbitragem, porque, assim como os jogadores, também pode errar. Mas já tenho sentido que, quando pegamos times na zona de rebaixamento, há muita pressão sobre o juiz. Os lances do Rivaldo e do Rafael Coelho foram normais. Já o Gerley mereceu, porque deu um carrinho um pouco violento", completou o goleiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.