Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Márcio Araújo será poupado, e Kleber e Valdivia podem ficar fora

Felipão estuda poupar jogadores contra a Ponte Preta no domingo para evitar o desgaste físico

Gazeta |

Já classificado entre os dois primeiros colocados para as quartas de final do Paulistão, principal meta do Palmeiras , e sem poder usufruir uma casa por causa da reforma no Palestra, Luiz Felipe Scolari dará descanso a alguns de seus titulares no domingo, contra a Ponte Preta, pela última rodada da primeira fase.

Gabriel Silva é desfalque confirmado porque está suspenso. Outro que ficará fora é Márcio Araújo, um dos atletas que mais entrou em campo nesta temporada. Até sexta-feira, Kleber e Valdivia, destaques que sofreram muitas faltas na vitória sobre o Santo André, também podem nem ser relacionados.

"É um jogo para preservar um ou outro jogador que, por acaso, tenha alguma dificuldade. Sabíamos que o Marcinho teria um pouco mais de dificuldade e provavelmente não vai estar em campo no domingo. Se houver uma dúvida com os outros, não vão jogar", avisou, já antecipando as situações de seus dois principais atletas. "Vamos ver se o Kleber tem boas condições de jogo. E o Valdivia levou um pisão, está com uma unha toda preta."

Uma derrota no domingo, como diz o próprio Felipão, não o irritaria nem pelo fato de encerrar uma sequência invicta de 15 jogos. E ser ultrapassado pelo São Paulo, caindo para a vice-liderança, não o aflige. O comandante insiste que o regulamento não o motiva para escalar força máxima em Campinas.

"A única vantagem será se o meu time chegar à final e poder atuar em casa. Mas, como não tenho casa, ficar em primeiro ou em segundo não muda absolutamente nada. Portanto, tenho que pensar um pouco no jogo de domingo", avisou.

Chance para Wellington Paulista
O camisa 9 entrou no fim do jogo de quarta-feira e busca uma vaga de titular no jogo de volta. Ele não tem nenhum problema físico e está empolgado para dar certo no clube. Contra o Santo André, passou todo o segundo tempo se aquecendo e se mexendo de acordo com as músicas cantadas pela torcida, batendo palma com ansiedade para estrear.

"Os torcedores que me encontraram na rua já me incentivaram, estão me ajudando bastante. Valeu pela estreia e pela vitória. Em todos os jogos bate aquele frio na barriga. Quem não sentir tem que largar o futebol", comentou ele, que teve uma boa chance de marcar em chute de fora da área, mas o goleiro Neneca, do Santo André, defendeu. "Achei que até fui bem. É ruim entrar no segundo tempo porque você está a 10 km/h e os caras estão a 100 km/h", comentou.

Felipão também crê que Wellington Paulista agradou, mas não se empolga. "Ele entrou quando estava 2 a 0 e, como é um jogador de área, poderia ter alguma oportunidade que o Santo André nos desse para aproveitar. E no fim acabamos tomando um gol", lembrou o exigente treinador.

"Ele se movimentou bem naquilo que tinha de fazer, normal, em 15, 20 minutos. É muito pouco para que eu mude meu esquema de um dia para o outro e passe a jogar com dois centroavantes quando não tenho dinâmica ainda de treinamento técnico", relatou, com um aviso à torcida. "Calma que, quando tiver necessidade e puder trabalhar bem, vou usá-lo. Enquanto não puder, vamos continuar com nosso esquema", finalizou.

Leia tudo sobre: palmeirasmárcio araújovaldiviakleber

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG