Ex-craque questiona ausência de exames antidoping em jogos da repescagem contra a Austrália, que garantiu vaga na Copa dos EUA

selo

Argentina de Maradona precisou superar a Austrália na repescagem para ir à Copa do Mundo de 1994
Getty Images
Argentina de Maradona precisou superar a Austrália na repescagem para ir à Copa do Mundo de 1994
Diego Maradona insinuou nesta segunda-feira que jogadores podem ter consumido substâncias proibidas quando a Argentina superou a Austrália em 1993, na repescagem para a Copa do Mundo de 1994, que foi realizada nos Estados Unidos. O ex-jogador, que participou do confronto, lembrou que não houve exame antidoping em nenhuma das duas partidas do confronto. Em Sydney o duelo terminou empatado em 1 a 1, e em Buenos Aires a Argentina venceu por 1 a 0 com gol de Gabriel Batistuta.

Getty Images
Maradona foi pego no exame antidoping durante a Copa do Mundo dos Estados Unidos, em 1994
"Por que não houve antidoping na partida com a Austrália se havíamos tido em todas as partidas?", disse Maradona, em entrevista à TV América . "O que acontece é que para jogar com a Austrália te davam um café veloz. No café punham algo e por isso corríamos mais".

Em 1993, a seleção era dirigida por Alfio Basile, mas Maradona sugeriu que Julio Grondona, residente da Associação de Futebol Argentino, teria sido o responsável pela situação. "Te fazem dez controles antidoping e justo na partida que faz a Argentina ir aos Estados Unidos não há exame antidoping. Aí estava a armadilha e isso sabia Grondona", falou o ex-craque.

Com a vitória sobre a Austrália, a Argentina se classificou para o Mundial dos Estados Unidos, no qual Maradona deu positivo em exame antidoping realizado após partida contra a Nigéria. Sem o astro, a equipe sul-americana foi eliminada pela Romênia nas oitavas de final. Já Maradona foi suspenso por 15 meses pela Fifa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.