Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Maradona evita comparações com Messi e provoca Pelé

"Por respeito a Lionel, não digo se ele é melhor ou se fui eu. É preciso deixá-lo tranquilo", disse o ex-jogador a jornal

iG São Paulo |

[]Apesar de estar acostumado às comparações com Pelé e de dar declarações polêmicas no embate sobre quem teria sido o melhor jogador de todos os tempo, o argentino Diego Maradona não se mostra tão combativo quando é questionado se já teria sido superado por seu compatriota Lionel Messi. Essa postura mais "humilde" do ídolo argentino ficou evidente em entrevista ao jornal "Clarín", publicada nesta sexta-feira.

"Por que Maradona ou Messi? Eu fiz minha carreira, e Messi está fazendo a dele. Será a história que vai decidir. No final das contas as pessoas verão quem foi o melhor: se Maradona ou Messi. Alguns gostarão mais de um do que do outro", disse o ex-jogador. Quem foi melhor: Pelé? Maradona? Messi? Ou outro jogador? Vote na enquete ao lado.

Getty Images
Os craques Messi e Maradona ficaram muito próximos depois da Copa do Mundo 2010, na África do Sul
"Hoje não há Maradona ou Messi. Somos dois argentinos "Hoje não há Maradona ou Messi. Somos dois argentinos que pudemos vencer no futebol europeu, quando muitos outros nem cruzaram o rio da Prata. Por respeito a Lio (Messi) não digo se ele é melhor ou se fui eu. É preciso deixá-lo tranquilo", acrescentou o ex-jogador.

"Hoje não há Maradona ou Messi. Somos dois argentinos que pudemos vencer no futebol europeuPorém, como de costume, o eterno camisa 10 da seleção argentina não deixou de provocar Pelé: "Gosto muito de Lio e de suas atuações em campo. Somos ambos dois argentinos. Imaginem como estará o 'Moreno' (como costuma se referir ao "Rei do Futebol")", disse.

Maradona nega contato do San Lorenzo
Também ao "Clarín", Diego Maradona negou que o San Lorenzo tenha o procurado para treinar a equipe e admitiu as dificuldades para continuar sua carreira como treinador após ter deixado o cargo da seleção argentina: "Ninguém do San Lorenzo me chamou, nem nenhum outro clube. Eu juro que não falei com ninguém", declarou.

Maradona ainda afirmou que gostaria muito de treinar o Boca Juniors, seu time de coração, no qual é ídolo: "Quando o Boca Juniors não tinha técnico, eu ganhava em todas as enquetes, mas mesmo assim não me chamaram. Não falei com ninguém do Boca. E juro que adoraria comandar o Boca Juniors, de Martín Palermo", admitiu.

*com EFE

Leia tudo sobre: Futebol MundialArgentinaBarcelonaMessiPeléMaradona

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG