Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mano troca postura educada por respostas mais duras em coletiva

Técnico da seleção brasileira mostrou irritação pouco comum e negou que tenha dado 'pena' para Hernanes

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

Se normalmente o técnico Mano Menezes é cordial com a imprensa e evita respostas mais ríspidas nas entrevistas coletivas, nesta quinta-feira na convocação da seleção brasileira para os amistosos contra Argentina, Costa Rica e México, em hotel na zona Sul do Rio, o treinador adotou uma postura defensiva e mostrou menos paciência que o habitual.

Leia também: Mano confirma Borges e Diego Souza para jogo contra a Argentina

Apesar de manter o tom educado, Mano pediu mais respeito com o trabalho que está sendo feito no cargo e comentou assuntos polêmicos, como a escolha de adversários e a ausência de alguns jogadores. A questão que mais irritou o técnico foi sobre a ausência do volante Ralf nos amistosos contra Costa Rica e México. Ao ser questionado se a não convocação poderia irritar a torcida do Corinthians , Mano perdeu a paciência.

Leia também: Brasil terá Hernanes e novato do Porto em jogos contra México e Costa Rica

Mowa Press
Mano Menezes quebrou o discurso pacífico em sua convocação desta quinta-feira

 LEIA TAMBÉM: Mano melhora comunicação na seleção, mas não resolve time

"Temos que ter jogadores do Corinthians em todas as convocações? No meu contrato não existe nada disso. Chamei o Ralf, mas o Sandro está recuperado de lesão e acredito que para o que pensamos em 2014 é um nome mais apropriado. Não é assim que se trabalha. Vamos, por favor, pensar que também temos gente séria trabalhando no nosso futebol. Não é possível que só tenha coisa ruim", declarou o treinador da seleção brasileira.

Sobre as novidades na seleção - o atacante Kleber, do Porto, e o lateral-esquerdo Fábio, do Manchester United, foram chamados pela primeira vez -, Mano comentou as críticas de que estaria chamando um número muito grande de jogadores, sem manter uma base.

"Penso que para esse momento não estamos abrindo muito o leque de opções. No futebol não tem jeito. Ou você é acusado de abrir demais a janela, ou de fechar demais. É minha missão encontrar os jogadores adequados para montarmos o selecionado mais competitivo. Então penso que para isso é preciso dar oportunidade para jogadores novos", declarou o treinador da seleção brasileira.

Por fim, ao comentar a volta do meia Hernanes, convocado pela última vez para o amistoso contra a França, em fevereiro, quando acabou expulso na derrota de 1 a 0, Mano negou que tenha dado uma 'pena' ao jogador e reclamou dos boatos criados sem comprovação.

"De vez em quando eu tenho a impressão de que estou falando com as paredes. Não dei suspensão nenhuma para o Hernanes e mesmo assim se falou nisso durante muito tempo. Quando acontece a prova do contrário, como agora, quando ele volta, acontece isso. Jamais faria isso com um jogador de futebol, não é da minha linha, sou um treinador de diálogo, nunca fechei a porta para ninguém", finalizou Mano.

A seleção brasileira entra em campo na próxima quarta-feira, no estádio Mangueirão, em Belém (PA), contra a Argentina. Apenas jogadores do futebol nacional foram convocados .

Leia tudo sobre: Seleção brasileiraMano MenezesCopa 2014

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG