Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mano não se empolga com retorno de atletas consagrados ao Brasil

Surpreso com Rivaldo no São Paulo, técnico mostrou preocupação com renovação no setor de criação

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

Além do receio de convocar jogadores atuando no Brasil, pela disparidade física em relação aos europeus, que estão no meio da temporada, o técnico da seleção, Mano Menezes, deixou clara a preocupação com o setor de criação da equipe. Sem Ganso, que se recupera de cirurgia, e Kaká, que já voltou a jogar pelo Real Madrid, mas ficou fora da lista para o amistoso contra a França, no dia 9, ele resolveu testar novas opções.

“As novidades indicam uma procura. Ainda procuramos os que desempenham a função de meia de articulação. Temos a repetição de oito, nove jogadores na formação. Mas ainda estamos variando um pouco na articulação, porque temos essa necessidade. Jadson e Renato Augusto são jogadores que têm rendimento”, analisou.

AE
"Se Ronaldinho estiver bem, fará parte dos planos¿, afirmou Mano Menezes
O retorno de jogadores consagrados ao futebol do país não empolga o treinador, que apesar de elogiar os atletas de idade avançada, como Rivaldo, de quase 39 anos, e Roberto Carlos, de 37, ressaltou que o fato deles ainda ocuparem a posição de titulares nos principais clubes do país indica que a renovação “não está boa”.

“Essa contratação do Rivaldo foi uma surpresa. Ele ia para o Mogi Mirim, clube do qual também é presidente. Mas o futebol brasileiro é assim, às vezes ainda nos surpreende. Está com uma idade avançada, 39 anos, mas estamos avançando a idade dos jogadores em alto nível, temos o Roberto Carlos também com 37. A única preocupação é: se esses jogadores ainda estão ocupando esses lugares nos principais clubes do país, a nossa reposição não está boa. Temos de acelerar um pouco, porque às vezes o tempo não perdoa certas coisas”, disse o treinador.

Mano não se furtou a comentar a contratação de Ronaldinho Gaúcho pelo Flamengo. O jogador foi convocado para o amistoso contra a Argentina, no qual o Brasil foi derrotado por 1 a 0, e o técnico deu a entender que ele poderá ser reaproveitado, pois agora poderá ter uma sequência de jogos que não vinha conseguindo no Milan, da Itália.

null“A questão do Ronaldinho vai depender muito dele, da sua produção, temos falado muito na possibilidade disso vir a acontecer, certamente vai aumentar a sua participação em jogos, o que não vinha acontecendo no Milan. Isso é o que o jogador idealiza para poder estar bem.

O treinador, porém, foi até irônico em certo ponto, ao comentar os retornos de jogadores consagrados ao país, já com a intenção de retornar à seleção. “Não é fundamental jogar no Brasil ou fora dele. O que pode ser valorizado em relação ao retorno dos jogadores é a questão do rendimento. Dizem que às vezes precisa o atleta respirar novos ares. Espero que o Brasil, com nossos ares, calor humano, ajude muito individualmente alguns, mas os aspectos que levam um jogador à seleção são objetivos. O que vai ser determinante é rendimento. Que esse ar ajude muito no rendimento de todos que estão retornando”.

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG