Treinador criticou posicionamento do ataque e de Rever, mas achou que a produção foi boa por jogar fora de casa

Mano Menezes fez de tudo para ser ouvido durante o jogo contra a Argentina
AFP
Mano Menezes fez de tudo para ser ouvido durante o jogo contra a Argentina
Mano Menezes gostou da seleção brasileira no empate sem gol contra a Argentina nesta quarta-feira à noite , pelo Superclássico das Américas, em Córdoba. O treinador apontou falha defensiva na cobertura do zagueiro Rever ao lateral Kléber e do setor ofensivo, que segundo ele ficou muito parado em alguns momentos. Mesmo assim.

“Acho que são erros fáceis de corrigir para a segunda partida. Nossa produção foi boa, tivemos bola na trave, criamos, mas acho podemos melhorar ainda mais para a segunda partida”, disse o treinador.

Jogadores culpam desentrosamento pelo empate

Ele convoca dia 22 de setembro para a partida do dia 28 de setembro, em Belém, que vai decidir quem ficará com a taça do Superclássico - serão chamados novamente atletas que atuam no futebol brasileiro, quem vencer o jogo será campeão e o empate leva a decisão para os pênaltis.

Para Mano, o Brasil rendeu quando os jogadores da frente trocaram de posições. Ronaldinho Gaúcho e principalmente Neymar estivem muito estáticos em alguns momentos, disse o treinador. “Quando houve essa movimentação, confundimos a marcação da Argentina e as chances foram criadas”, disse Mano.

Ele só ficou irritado quando questionado sobre o motivo de não ter escalado ou colocado no segundo o meia-atacante Lucas, do São Paulo, que esteve no grupo que disputou a Copa América e na convocação dos últimos jogos na Europa. “Não coloquei porque não deu”, disse Mano, com os olhos arregalados na direção do repórter que fez a pergunta.

No dia 22 de setembro, Mano também fará uma outra convocação, esta com os jogadores que atuam na Europa, para os amistosos contra a Costa Rica (dia 7 de outubro, em San Jose) e México (dia 11 de outubro, contra o México, em Torreón).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.