Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mano ignora expectativa de duelo entre Neymar e Messi

Técnico da seleção lembra que destaque do Mundial foi uruguaio Forlán e afirma que Brasil terá postura diferente dos amistosos

Vicende Seda, iG Rio de Janeiro |

No dia em que a seleção brasileira se apresentou para a disputa da Copa América , o técnico Mano Menezes fez o possível para escapar da pergunta que os jogadores também tiveram de responder, sobre a expectativa do duelo das estrelas Neymar e Messi . Reconheceu que o argentino costuma jogar melhor em seu clube, o Barcelona , do que na seleção, mas lembrou que o destaque da Copa do Mundo de 2010 foi Forlán , do Uruguai, para afirmar que não são apenas Neymar e Messi que podem fazer a diferença na Copa América.

“Em relação à fase individual de cada um, já vimos que às vezes os jogadores arrebentam em seu clube, mas na seleção não repetem o desempenho, acho que podemos citar aí o Messi. Até agora ele ainda não conseguiu repetir as maravilhas que faz no Barcelona. E o contrário também é verdadeiro. Às vezes o cara não está num momento tão bom no clube, mas o ambiente da seleção faz bem e ele rende melhor. Então temos de aguardar para ver quem de fato vai se destacar”, disse o técnico.

Ao ser indagado se acredita que, por causa da presença de Neymar e Messi, Brasil e Argentina estão em um patamar superior, Mano ressaltou que estes não são os únicos destaques da competição. “Temos grandes jogadores da América do Sul e isso foi comprovado na Copa do Mundo. Uns um pouco mais acima, outros nem tanto, mas não há uma diferença tão grande que possa impedir os demais de fazerem sucesso. O último destaque do Mundial foi o Forlan. Temos de respeitar a todos, temos um futebol de qualidade na América do Sul e teremos oportunidade de ver isso”.

O treinador disse ainda que o torcedor poderá esperar o Brasil com uma postura diferente em relação aos amistosos, pois desta vez vale título e haverá um período de treinos. Ele admitiu que está ansioso. “Quando perdermos esse frio na barriga, vamos fazer outra coisa. O futebol exige isso. Estaremos um pouco mais fechados, dirigidos para o nosso objetivo, e isso produz um comportamento no jogo diferente do que viram no amistoso. Assim é competição e assim estaremos nesse período”.

Leia tudo sobre: Seleção BrasileiraNeymarMessiCopa América 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG