Tamanho do texto

"O Paraguai, dos três, é o de maior tradição", analisou o comandante da seleção

A seleção brasileira estreia na Copa América no próximo domingo, diante da Venezuela, em La Plata, com o peso do favoritismo. No confronto entre as seleções, o retrospecto é amplamente favorável aos brasileiros. São 18 vitórias do Brasil, um empate e apenas uma derrota.

Além disso, os venezuelanos só balançaram as redes do Brasil seis vezes, em 20 jogos. Mesmo assim, o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes acredita que a Venezuela proporcionará dificuldades para seus adversários nesta Copa América.

"A Venezuela vem evoluindo. Tem tido um trabalho organizado já faz um tempo. Não tem uma grande tradição, mas vem investindo, fazendo bons jogos e a gente espera encontrar dificuldades", declarou o treinador, que prevê uma marcação forte por parte dos venezuelanos no duelo com o Brasil.

"Receberemos uma marcação forte. Enfrentamos recentemente algumas seleções com este estilo de jogo e tivemos um pouco de dificuldades. Então estamos observando as características dos jogadores da Venezuela e analisando os amistosos que eles jogaram".

Depois da Venezuela, o Brasil terá pela frente o Paraguai, em Córdoba, no dia 9 de julho. De acordo com Mano Menezes, este deve ser o adversário de maior perigo para a seleção brasileira no Grupo B - que ainda conta com o Equador.

"O Paraguai, dos três, é o de maior tradição. Tem criado muita dificuldade para as seleções de ponta da America Latina. Fez uma eliminatória e uma Copa do Mundo muito boas e será nosso principal adversário na chave."

Mano Menezes ainda analisou o Equador, que faz o confronto com a seleção no dia 13 de julho, encerrando a participação brasileira na fase de grupos da competição. "O Equador oscila muito. Faz bons jogos, mas ás vezes não. É um time forte fisicamente, repleto de jogadores experientes, com longas trajetórias na equipe, e também não será fácil".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.