Treinador elogia seleção, mas afirma que para chegar à semi precisa de mais. Lúcio levou puxão de orelha

Mano Menezes considerou que a seleção brasileira fez uma boa atuação na noite desta quarta-feira contra o Equador, na vitória por 4 a 2 que garantiu a vaga para as quartas de final da Copa América . Mas o semblante do treinar na entrevista pós-jogo era sério. O adversário do próximo domingo (16h, em La Plata) será novamente o Paraguai, que quase venceu o Brasil nesta primeira fase, e para Mano seu time precisa melhorar mais se quiser chegar à semifinal.

“Fizemos um bom jogo, necessitávamos dessa boa atuação, e conseguimos isso em um momento decisivo (se a seleção perdesse estaria eliminada). Sempre disse que quando o coletivo estivesse melhor, a individualidade apareceria. Foi assim”, disse o treinador.

O semblante sério também explicava que Mano Menezes não gostou da cobrança pública que o zagueiro Lúcio fez ao elenco dois dias antes da partida contra os equatorianos. O capitão cobrou seriedade, recado entendido como enviado aos mais jovens, mas o treinador não gostou, e foi a vez dele enviar mensagem ao zagueiro.

“Prefiro conversas privadas, as cobranças internas surtem mais efeito, expõem menos a todos. Vocês (jornalistas) gostam de cobranças públicas, dá mais repercussão e fizemos isso (cobranças) internamente. Tanto que fizemos um jogo melhor”, disse Mano Menezes. Na própria segunda-feira, ainda no campo depois do treinamento da tarde, Mano havia cobrado Lúcio pelo pito público em alguns jogadores.

MiGCompLinks_C:undefined O técnico, que normalmente não gosta de falar de atuações individuais, elogiou Maicon, sua principal alteração para esta terceira partida. Segundo ele, a seleção tem dois “tremendos” laterais direitos e a opção pelo atleta da Inter de Milão foi para dar velocidade pela direita e ajudar Neymar, quando o atacante caísse pelo setor.

“Robinho também fez uma boa partida. Precisamos tomar as decisões, que muitas vezes são incômodas, como a mudança na lateral já que temos dois grandes jogadores para a posição. Assim que enxergo a função do técnico, é que algumas vezes a decisão é mais polêmica, outras vezes não”, disse o treinador.

Outro elogiado foi Neymar, que desencantou e marcou dois gols. "Trabalho gerenciando 23 jogadores, agora 22 porque o Sandro teve que deixar (machucado), para tirar o melhor de cada um. O Neymar está crescendo no momento certo, rendendo melhor. Um jogador que está assumindo a responsabilidade”, completou o treinador.

Com dois gols, o atacante Caicedo, do Equador, deu sustos na seleção brasileira
Milton Trajano
Com dois gols, o atacante Caicedo, do Equador, deu sustos na seleção brasileira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.