Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com baixo aproveitamento nos reforços, Atlético-MG muda métodos

Depois de 45 contratações em dois anos, Alexandre Kalil diz que para 2012 vão chegar reforços pontuais

Renan Rodrigues e Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

O técnico Mano Menezes completou 500 dias no comando da seleção brasileira nesta semana, mas a definição de um time base visando a Copa do Mundo de 2014 ainda levará mais alguns meses.

Participando do Footecon, congresso sobre futebol que acontece nesta terça-feira, em um hotel na zona Sul do Rio de Janeiro, o treinador comentou o cronograma na formação da equipe. “A seleção não pode estar definida ainda porque não é hora para isso. Depois da passagem dos jogos olímpicos, é o momento de definirmos isso, um grupo próximo do que vai chegar em 2014”, declarou o treinador.

Mais sobre o Footecon: Mudo sobre o COI, Havelange é ovacionado por Parreira e cia. no Rio

Sobre a posição que considera mais indefinida dentro da seleção, Mano minimizou e declarou que ainda faltam outros aspectos importantes na formação do grupo. Ele também comentou que após essas definições, a cobrança sobre resultados mais expressivos contra grandes seleções será maior.

“Não acho que o problema seja carência, faltam definições e você só pode trabalhar outras coisas a partir das definições, ai você passa a trabalhar repetição, jogos de grau de dificuldade diferentes. Depois dessa nova situação queremos ter comportamentos diferentes e resultados diferentes”, disse o técnico da seleção brasileira.

Leia mais sobre a seleção brasileira no iG Esporte

Sem disputar as Eliminatórias, já que está classificado por ser país sede, o Brasil viverá uma rotina de amistosos e apenas a Copa das Confederações para testar sua formação. Mesmo assim, Mano Menezes não acredita que o desempenho do país em 2014 será prejudicado.

“As situações no futebol se colocam e precisamos encará-la. A Argentina está preocupada com a eliminatória. No Brasil tem gente preocupada que não vamos jogar. Não vamos porque somos o país sede. Perdemos em competitividade, mas seremos inteligentes para ter calma para conduzir o processo. Torcedor tem de ficar tranquilo que estamos sabendo tirar proveito desta situação”, finalizou Mano Menezes.

Leia tudo sobre: seleção brasileiramano menezescbfcopa 2014londres 2012

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG