"Já joguei Série B e sei que tem que ter elenco. Passamos dificuldades no Paulista", declarou o jogador

Gerson, Josimar, Lucas, Xaves, Gil, Mancuso, Dionísio e João Paulo da Silva. Esses oito jogadores brigam por até três posições no meio-campo da Ponte Preta . De acordo com Mancuso, o excesso de opções é importante para o técnico Gilson Kleina fazer a melhor escolha.

"É uma disputa saudável, leal, e quem estiver melhor vai jogar. Já joguei Série B e sei que tem que ter elenco. Passamos dificuldades no Paulista e o Brasileiro é mais disputado e longo. Por isso, temos que ter mais gente e mais qualidade", explicou.

"A partir do momento que o atleta assinou contrato aqui com a Ponte, ele é igual ao atleta que está aqui há dois, três anos. Se chegar e mostrar que tem condições de jogar, vai atuar sem problemas", acrescentou.

O volante também destacou que o técnico Gilson Kleina pode aproveitar o número abundante de atletas e variar a formação tática, com dois ou três jogadores de marcação no meio-campo. "Ele pode escalar um, dois ou três volantes. É uma carta que ele tem na manga e são características diferentes. Há volantes que marcam mais, outros que saem para o jogo", analisou.

"Atualmente, não vejo mais a posição de volante. Na minha concepção, é meio-campo, até porque tem meia que joga de volante. Nosso meio-campo está forte e sendo reforçado em prol da Ponte Preta", garantiu.

A Ponte Preta concluiu o trabalho físico para a estreia no Campeonato Brasileiro da Série B, contra o ASA-AL, no sábado, no estádio Moisés Lucarelli. Na semana que antecede a partida, Kleina vai começar os trabalhos com bola. "O tempo de preparação antes da estreia na Série B é curto. Vamos ver o que fizemos de errado no último campeonato e corrigir. Sem dúvida iremos brigar pelas quatro primeiras posições", encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.