Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mancini minimiza seu primeiro clássico e foca luta para não cair

Treinador do Cruzeiro disse que partida teria a mesma importância se fosse contra Barcelona ou Real Madrid

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

O técnico Vágner Mancini sente, no próximo domingo, a emoção do maior clássico de Minas Gerais. E olha que o jogo da última rodada do Brasileirão contra o Atlético-MG vale a permanência na primeira divisão para o Cruzeiro, clube que nunca foi rebaixado. Entretanto, o treinador celeste disse que não está muito preocupado sobre quem será o adversário, mas sim no objetivo em disputa.

Cruzeiro é o 16º colocado. Veja a classificação atualizada

Mancini chegou ao Cruzeiro na reta final do Brasileirão, faltando doze jogos para o fim do torneio. Ao ser perguntado sobre a emoção do primeiro clássico, o treinador minimizou o fato de enfrentar o Atlético-MG e disse que a partida teria a mesma importância se fosse disputada com outros grandes clubes do futebol mundial.

Leia também: Clássico encerra a temporada agitada de Rafael, que teve até doping

"Não dá para pensar se é primeiro clássico ou não. O momento é maior que estatística e vaidade. Temos que focar nesse jogo, independentemente se fosse contra o São Paulo, Barcelona ou Real Madrid. Temos que focar da mesma forma. Não estamos pensando sobre qual é o adversário, mas com a importância do jogo", declarou o treinador cruzeirense.

A partida de domingo pode selar o destino do treinador do Cruzeiro e ele mesmo sabe disso. Se o time cair, dificilmente permanece no cargo. "Acho que sim (se o clássico definiria sua permanência no Cruzeiro), não estou pensando nisso. O foco maior da minha vida é isso daqui. A partir de domingo, vivo a minha vida que sempre tive. Nesse momento, estou totalmente focado em livrar o Cruzeiro e vivo 24 horas por dia esse objetivo. O futuro será definido após isso", afirmou o comandante celeste.

Veja também: Cruzeiro apela à superstição para permanecer na elite

Apesar da torcida cruzeirense não querer tocar no assunto "rebaixamento", o treinador prefere encarar o problema de frente para conseguir a solução. "Rebaixamento é possível e temos que conviver com isso. Não da para esconder, existe isso. Mas temos que brigar. O problema existe em qualquer âmbito nas nossas vidas. Ou você enfrenta ou terá muito mais dificuldades. Não dá para jogar a sujeira para baixo do tapete. Tem que fazer a faxina", concluiu o treinador cruzeirense.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente as declarações do treinador

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG