Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mancini busca no Cruzeiro primeiro sucesso em clube de expressão

Treinador não teve êxito nos grandes que treinou e tem como missão evitar o rebaixamento em Minas

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

O anúncio da contratação de Vágner Mancini para assumir o Cruzeiro deixou a torcida do time mineiro desconfiada. Sem campanhas vitoriosas nos chamados clubes de expressão, o objetivo principal do treinador é afastar o time mineiro da zona do rebaixamento para conquistar crédito com a diretoria. Assim, a renovação de seu contrato no final do ano possibilitaria uma chance de montar o time com mais calma em 2012.

Siga o Twitter do iG Cruzeiro e receba notícias do time em tempo real

O diretor de futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca, revelou que o contrato de Vágner Mancini com o clube vai até dezembro de 2011, com opção de renovação por mais um ano. Na apresentação do treinador, Dimas Fonseca afirmou que não existe nenhuma premiação caso o treinador consiga evitar o rebaixamento. "Não tem nenhuma premiação para manutenção. Hora nenhuma nós oferecemos, nem ele (Vágner Mancini) pediu. Ele está muito ciente da necessidade e da importância, não só para o Cruzeiro, mas também para ele, dessa nossa manutenção na primeira divisão”, destacou o dirigente.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e convide os seus amigos

Vipcomm
Vágner Mancini não conquistou títulos nas passagens por Santos, Vasco e Grêmio

Vágner Mancini disse não estar preocupado com a duração de seu contrato. "Estou feliz e satisfeito por esse convite. Não foi fácil chegar aqui. Já estou no futebol há 25 anos e sei bem como funcionam as coisas. Sobre o tempo de contrato, temos que pensar se o treinador não tem só 7 dias de contrato. A pressão é muito grande, jogando quarta e domingo. Muito importante ter a consciência do que está fazendo, do clube que você está dirigindo", afirmou.

O treinador foi perguntado sobre as fracas campanhas que teve em outros times de expressão e respondeu que está mais preocupado com o futuro. "No Vasco foram só 90 dias. Disputamos um título e fomos vice. No Santos a mesma coisa. Depois do Campeonato Paulista, de repente, eu saí. Grêmio houve um desentendimento, mas não vou nem falar pois é pagina virada. Quando aceitei vir para cá, passou esse filme na minha cabeça. Não fico preso ao que fiz ontem. Tenho que estar aberto a novos conhecimentos. Vou tentar de todas as formas fazer com que os outros times tenham perdido um treinador de ponta, tentando levar minha estada ao maior tempo possível aqui no Cruzeiro", analisou Mancini.

A principal conquista de Mancini em sua carreira foi à frente do Paulista de Jundiaí. Em 2005, o treinador comandou o time campeão da Copa do Brasil e explica o sucesso na ocasião. "Quando você tem um tempo maior para trabalhar, fica mais fácil criar variações de jogadas. De 2004 a 2007 no Paulista de Jundiaí, dentro da partida eu conseguia mudar o estilo de jogo. Com tempo de treinamento você consegue isso. Espero que eles (jogadores do Cruzeiro) entendam isso rapidamente. Fundamental ter variação dentro do jogo, pois do outro lado também tem um técnico te observando e não pode ficar só na individualidade. Tem hora que o sistema de jogo tem que ajudar a surpreender", concluiu.

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011Vágner Mancini

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG