Ao iG, atacante diz que não se arrepende por trocar de time e que família o fez vestir verde

Feliz no Palmeiras, clube que chama de
Gazeta Press
Feliz no Palmeiras, clube que chama de "sua casa", Maikon Leite busca recomeço após graves lesões
Em 22 de junho de 2011, Maikon Leite comemorou ao lado de Neymar e cia. o título da Libertadores pelo Santos . Ao invés de preparar-se para a disputa do Mundial de clubes no final do ano, ele cumpriu pré-contrato e apresentou-se uma semana depois ao Palmeiras , clube que vivia dias turbulentos devido à queda para o Corinthians na semi do Paulista e à goleada por 6 a 0 para o Coritiba na Copa do Brasil . Entre altos e baixos nesses oito meses, Maikon Leite agora é titular da equipe que lidera o Paulistão e vive ótima fase em 2012. Em entrevista ao iG , o camisa 7 nega arrependimento em trocar de lado e revela o que o motivou a vestir a camisa verde.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Em nenhum momento me arrependi. Antes de assinar com o Palmeiras, sabia que o clube estava vivendo um momento difícil. Mas eu queria muito jogar aqui e nunca pensei em dar um passo para trás", diz o ponta direita, antes de revelar quem foram os grandes apoiadores de sua ida da Baixada Santista para o Palestra Itália: "Eu sempre tive vontade de jogar no Palmeiras, que é uma equipe muito grande. Minha família inteira é palmeirense, e isso pesou demais. Eles falaram muito para eu vir para cá. É um clube enorme, que há muito tempo não ganha um título importante, e eu queria esse desafio. Quero ser vencedor aqui", diz.

PARCEIROS: Maikon Leite elogia Barcos e pede chegada de Wesley no Palmeiras

Com a carreira marcada por graves lesões no joelho, Maikon Leite prefere deixar as dores no passado e olhar apenas para frente. Mas ele assegura que agora está melhor do que antes e que não vai tirar o pé em nenhuma bola. "Se bobear, hoje meu joelho está melhor do que antes. Nunca tive e nunca vou ter medo de dividir (a bola). As lesões foram fatalidades, podem acontecer com qualquer pessoa. Acho que quanto menos coisa ruim eu pensar, menos vai acontecer comigo", afirma.

Joelho de Maikon Leite tem grandes cicatrizes
Francisco De Laurentiis
Joelho de Maikon Leite tem grandes cicatrizes
Antes de se machucar pela primeira vez, em um jogo do Santos contra o Flamengo , e ficar oito meses em recuperação, o atacante estava "voando" e vinha sendo um dos principais nomes do futebol brasileiro. Logo que voltou, reencontrou o bom futebol, mas foi em seguida castigado por outra lesão no joelho, que o deixou mais sete meses de molho. Sempre bem-humorado e brincalhão, o camisa 7 lembra com pesar dos momentos difíceis, quando chegou a ficar na cadeira de rodas, mas encara tudo como destino e prefere mostar otimismo.

BOA NOTÍCIA: Médico do Palmeiras diz que Valdivia pode voltar contra o São Paulo

"Não gosto de pensar se as coisas poderiam ter sido diferentes na minha vida (sem as lesões). Tudo o que aconteceu comigo é porque estava escrito que eu tinha que passar por aquilo. Tenho só que agradecer todo dia por hoje estar jogando futebol normalmente, sem dor, e estar jogando bem. Não vou pensar no passado, porque não dá para voltar atrás. O que já foi, já foi", diz o atacante, que tem no joelho direito duas grandes cicatrizes, marcas dos meses que passou no departamento médico.

Maikon Leite sofre sua primeira lesão grave, que o deixou oito meses no DM. Hoje, prefere esquecer
Gazeta Press
Maikon Leite sofre sua primeira lesão grave, que o deixou oito meses no DM. Hoje, prefere esquecer
Maikon Leite tem contrato até 2016 com o Palmeiras, a "sua casa", segundo ele, e agora só pensa em reencontrar o bom futebol e fazer história pelo time de sua família. "A gente tem condições de conquistar todos os títulos que vamos disputar esse ano. Temos time, somos um clube gigante e temos que brigar por tudo, pois sabemos que temos condições de ganhar", diz o avante, que marcou um gol neste ano: o da vitória sobre o Bragantino , pela primeira rodada do Paulistão.

DORES: Luan diz que estava jogando no sacrifício pelo Palmeiras desde 2011

Maikon Lete comemora gol contra o Bragantino
Gazeta Press
Maikon Lete comemora gol contra o Bragantino
Os gols, aliás, não são prioridade na vida do jogador. "Minha meta é jogar bem e procurar ser titular o maior número de jogos possíveis. Quero dar passe, assistência, sofrer falta e pênalti. Não sou um goleador, nunca fui. Mas lógico que um gol de vez em quando sempre vai ser bem-vindo", brinca. Apesar disso, ele diz que está treinando chutes para tornar-se mais completo: "Está faltando fazer os gols na hora que estou na cara do goleiro. Até tenho conseguido criar jogadas, mas se eu conseguir finalizar melhor, vai ser ótimo. Estou treinando finalização e espero melhorar bastante ainda", afirma.

COMPLICOU: Tirone diz que Werder terá que aceitar preço reduzido por Wesley

Por fim, Maikon Leite se esquiva das duas principais críticas de comentaristas e torcedores sobre ele: os constantes escorregões e a fama de "jogador de segundo tempo": "Sou um jogador muito leve, então qualquer deslocamento eu posso acabar escorregando. É uma coisa natural pela minha característica, de sempre tentar o tentar o drible", explica. "Opinião cada um tem a sua e eu faço questão de respeitar todas. Mas mostrei nos últimos dois jogos que posso atuar desde o primeiro tempo tranquilamente", completa.

Ajude o Palmeiras a aumentar sua torcida virtual

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.