Tamanho do texto

Briga por posição na lateral direita da seleção brasileira é a mais acirrada e gera desconforto em quem não joga

Titular depois de “roubar” a vaga de Daniel Alves com uma atuação convincente na vitória sobre o Equador por 4 a 2, Maicon encantou Mano Menezes e será mantido contra o Paraguai, domingo (16h, em La Plata), pelas quartas de final da Copa América . O treinador costuma falar em suas entrevistas que a seleção brasileira tem os melhores laterais direitos do mundo e por isso tem um problemão para deixar um de fora – o que acaba causando a insatisfação daquele que não está jogando.

Maicon esteve incomodado como reserva, apesar de não admitir publicamente. Nos treinamentos, quando errava alguma jogada, chutava a trave e as placas de publicidade atrás dos gols. Depois do empate por 2 a 2 contra o Paraguai, na segunda rodada, saiu do estádio Mário Alberto Kempes, em Córdoba, sem conversar com os jornalistas. “Não joguei, vou falar o quê?”, disse o jogador na ocasião.

No banco contra os equatorianos, Alves foi orientado por seu assessor pessoal a não repetir o companheiro e o lateral, como reserva, concedeu entrevista depois da partida.

“Minha relação com o Daniel sempre foi perfeita, nos respeitamos, um procura ajudar o outro na seleção, e sempre vai ser assim”, disse Maicon nesta sexta-feira, em Los Cardales, cidade argentina na qual a seleção brasileira está concentrada.

Ele contou que pediu para Mano Menezes não chamá-lo no primeiro amistoso pós-Copa do Mundo, em agosto de 2010, contra os EUA (vitória por 2 a 0), porque precisava descansar depois da campanha na Copa do Mundo. “Mas não me chateou começar a era Mano Menezes como reserva, cada treinador conhece seus jogadores, sabe o que precisava fazer. Espero que agora que entrei não saia mais”, disse o lateral da Inter de Milão.

Ambiente
Maicon negou que haja clima ruim entre os jogadores. Na segunda-feira, dois dias antes da decisão contra o Equador, o zagueiro Lúcio cobrou publicamente mais seriedade de alguns jogadores – o iG apurou que o recado foi mais para Daniel Alves do que para Neymar e Paulo Henrique Ganso.

“O ambiente é bom, sempre foi. E uma vitória como a de quarta-feira dá ainda mais confiança, vamos entrar contra o Paraguai bem confiantes”, disse o jogador.

O único assunto que ele não quis comentar foi a possibilidade de deixar a Inter de Milão, da Itália, para jogar no Real Madrid, da Espanha. A equipe italiana contratou o lateral-direito Jonathan, do Santos, e o técnico José Mourinho, que trabalhou com Maicon na Itália, quer levá-lo para o Real.

“Só falo de seleção”, completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.